Piramidal.net

Pirâmide não é magia. É Tecnologia!

  • Pirâmide de cobre C130

  • Pirâmide de alumínio A150

    Pirâmide de alumínio A150

  • Pirâmide de alumínio A150

    Pirâmide de alumínio A150

  • Pirâmide de cobre C150

    Pirâmide de cobre C150

  • Pirâmide de alumínio A130

    Pirâmide de alumínio A130

  • Incenso japones aroma orvalho

    Incenso japones aroma orvalho

  • Incenso japones aroma jasmim

    Incenso japones aroma jasmim

  • Pirâmide de latão fechada

    Pirâmide de latão fechada

  • Fórum sobre jejum, alimentação prânica (viver de luz) e temas relacionados

Archive for the ‘Construções Antigas’ Category

Construções Antigas

Obelisco inacabado de Assuã

Posted by luxcuritiba em junho 3, 2013

banner

obelisco

São 1.300 toneladas de granito ainda encrustados na pedreira. Observe o padrão das marcas nas fendas, como se tivessem enfiado uma faca quente na manteiga, mas é GRANITO!

Graus/Níveis de dureza de Materias – Escala de Francis Mohs:
– cobre dureza de ~3 Mohs;
– ferro 5 Mohs;
– Aço 6 Mohs;
– GRANITO 6,5 – 7,5 Mohs.
– Diamante 10 Mohs

Detalhe: Para quem não sabe, segundo a história oficial contada pelos historiadores, na época das construções faraônicas o Egito não possuía ferramentas de ferro nem aço, somente martelos e punções toscos feitos de cobre, metal macio e flexível.

Então fica a grande pergunta: como os egípcios conseguiram fazer cortes tão perfeitos, em blocos de granito com dureza 6,7 a 7,5 Mohs, usando apenas ferramentas de cobre de dureza 3,0 Mohs? Isso simplesmente não faz o menor sentido.

Se você quiser ter uma noção concreta do absurdo afirmado pelos historiadores, experimente cortar uma pedra usando uma comum faca de cozinha com dentes serrilhados, que é feita e ferro ou aço, dureza próxima ao do granito. Agora veja o tamanho daquele obelisco e imagine como seria possível executar tal serviço, usando ferramentas de cobre, que são duas vezes mais fracas que o ferro e o aço.

log_pir_47

.

Gostou? Então Curta nossa página no Facebook.

eu_47 Seja amigo do autor do site no Facebook, e esteja sempre antenado em assuntos interesantes como este.

Posted in Construções Antigas | 3 Comments »

Construções Antigas – Construçoes impossíveis

Posted by luxcuritiba em maio 30, 2013

banner

Este vídeo é uma compilação de alguns episódios da série Ancient Aliens, apresentada pelo History Channel. Como povos antigos, que não tinham sequer a roda, conseguiram levantar prédios de pedra que persistem de pé por milênios? Levantando blocos de pedra de centenas de toneladas, usando apenas cordas?

log_pir_47

.

Gostou? Então Curta nossa página no Facebook.

eu_47 Seja amigo do autor do site no Facebook, e esteja sempre antenado em assuntos interesantes como este.

Posted in Construções Antigas | Leave a Comment »

Pedra do Ingá: o maior mistério arqueológico rupestre do Brasil

Posted by luxcuritiba em maio 9, 2013

banner

Cabaceiras_apn_abril2006_a_002A Pedra do Ingá é um monumento arqueológico, identificado como “itacoatiara”, constituído por um terreno rochoso que possui inscrições rupestres esculpidas em baixo-relevo, localizado no município brasileiro de Ingá no estado da Paraíba.

A origem do termo “Itacoatiara” vem do Tupi. É uma forma aportuguesada de “Ita”, que quer dizer “pedra” e “kwatia”, que significa “riscada” ou “pintada”, isso porque os índios Cariris, quando indagados pelos colonizadores europeus sobre o que significavam os sinais inscritos na rocha, usaram esse termo para se referir aos mesmos.

A formação rochosa em gnaisse cobre uma área de cerca de 250 m². No seu conjunto principal, um paredão vertical de 46 metros de comprimento por 3,8 metros de altura, e nas áreas adjacentes, há inscrições cujos significados são desconhecidos. Neste conjunto estão talhadas em baixo relevo, figuras diversas, que sugerem a representação de animais, frutas, humanos e constelações como a de Órion.

O Sítio arqueológico fica a 109 Km de João Pessoa e 38 Km de Campina Grande. O acesso ao município dá-se pela BR 230, onde há uma entrada para a PB 90, na qual após percorrer 4,5 Kms, chega-se ao núcleo urbano da cidade. Atravessando a avenida principal da cidade, percorre-se mais 5 Kms, por estrada asfaltada, até se chegar ao Sítio Arqueológico da Pedra do Ingá, onde há um prédio de apoio aos visitantes, com banheiros e instalações de um museu de História Natural, com vários fósseis e utensílios líticos, que foram encontrados na região onde hoje fica a cidade.

O Sítio Arqueológico está numa área outrora privada, que foi doada ao Governo Federal brasileiro e posteriormente tombada como Monumento Nacional pelo extinto Serviço do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (atual IPHAN) a 30 de novembro de 1944.

log_pir_47

.

Gostou? Então Curta nossa página no Facebook.

eu_47 Seja amigo do autor do site no Facebook, e esteja sempre antenado em assuntos interesantes como este.

Posted in Construções Antigas | 1 Comment »

ATLANTIDA (El continente perdido)

Posted by luxcuritiba em maio 4, 2013

A T L A N T I D A

Cuando la Atlàntida fuè formada, los Naacals establecieron la escuela de misterio, es un tipo de escuela dònde se aprende sobre la conciencia, se aprenden diferentes aspectos de expansiòn de su pròpia conciencia y finàlmente llega al pùnto donde te conviertes en inmortal, en general tomò un tiempo muy largo para llegar a ese estado y es por eso que sòlo habian 1.000 Naacals a comparaciòn de los millones de Lemurianos. El primer atlànte en alcanzar el estado de inmortabilidad fuè Osiris.

Tràs el hundimiento de Lemuria y la salida de La Atlàntida, la raza humana nos mudamos a varias islas y continentes en el mundo ya que no tenìamos hogar, en ese momento habia alrededor de 1.000 personas de una conciencia muy alta que fueron llamados Los Naacals ( conocidos hoy en dia como los maestros ascendidos ), èstos comenzaron a preparar la Atlàntida para ser nuestro nuevo hogar, proyectaron sus energias a travès de todo el continente en forma del àrbol de la vida, no con 10 cìrculos sino con 12, uno extra en la pàrte superior en la isla Udal y el otro en la pàrte inferior en el agua.

Elegimos movernos a la Atlàntida debido a la kundalini, en los seres humanos la kundalini se refiere a una serpiente de la energia que corre arriva y abajo de la columna vertebral, cuando se activa proporciona una inmensa cantidad de energia a travès de todos los chacras.
La tierra tambièn tiene una kundalini ( porque la tierra està viva como un organismo màs ) que va dèsde el centro del planeta a un lugar especìfico en la superficie, allì dònde reside la kundalini, la gènte se convierte en lìderes espirituales del mundo.

La tierra escogiò a Atlantis para ser el nuevo cèntro energètico de la tierra, despuès se trasladò a las montañas del Tibet, de manera que los budistas han sido los lìderes espirituales en los ùltimos 13.000 años.

Siguiendo con los naacals, de repente soplaron vida en el àrbol de la vida en la superficie de la Atlàntida, èso creò vòrtices de energia , una vez que los vòrtices se han establecido, los hijos de Lemuria empezaron a ser llamados, comenzaron a ser atraidos hacia la Atlàntida y èsto diò comienzo a una gràn migraciòn.

Sin embargo la conciencia de Lemuria habia llegado a la edad de una niña de 12 años como una conciencia planetaria y algunos de nuestros cèntros no estaba funcionando todavia, habian trabajado con èstas energias pero dominaron 8 de 10, se fueron trasladando y comenzaron a construir ciudades, dejaron dos vòrtices sin ser utilizados, ni una sòla persona, èstos dos vòrtices estaban tirando vida hacia ellos y en la vida no se puede tener un lugar vacio, la vida encontrarà la manera de llenarlo al igual que si estuvieras conduciendo en la autopista siguiendo a otro coche, si te quedas demasiado atràs alguien llenarà el espacio, èsto es exàctamente lo que pasò en Atlantis.

Aunque los lemurianos habian llenado 8 de 10 vòrtices, para llenar èstos dos vòrtices segun Thot, dos razas extraterrestres intervinieron, la 1º raza fueron los hebreos que vienen de nuestro futuro, Thot dice que vinieron de fuera del planeta pero no sabemos exàctamente de donde.

Los hebreos eran como un niño de 5º grado y al no graduarse repitiò curso, aprendieron todas las matemàticas, la materia del cerebro izquierdo pero no consiguieron el aspecto del hemisferio derecho del cerebro de la evoluciòn de la conciencia, no pasaron al siguiente nivel evolutivo, de modo que tuvieron que hacerlo de nuevo ( lo que sucederà en èste ciclo a quienes no lo consigan ).

Ellos sabian cantidad de cosas que nosotros aùn desconocìamos, no hubo problemas con los hebreos, en realidad beneficiaron nuestra evoluciòn, fuè la otra raza que intervino la que causò serios problemas.

Esta otra raza llegò de Marte, Marte era como la tierra hace un millòn de años, con ocèanos, hermosos paisajes, etc… pero àlgo les pasò, àlgo que tenia que ver con el experimento de Lucifer.

Dèsde el comienzo de la creaciòn todo es un experimento, la creaciòn mìsma era la conciencia creando y habitante en si mìsma en èsta creaciòn, no hay un plàn divino, el espìritu puede hacer lo que quiera, si el espìritu decide aislarse del resto de la conciencia y crear una realidad diferente para el mìsmo, eso tambièn se puede hacer es lo que se llama el experimento de Lucifer ya que el espìritu es Diòs y puede hacerlo.

Nos han hecho creer que Lucifer es el diablo y no es cierto, es otra manera de ver la realidad, no es ùnica percepciòn de la realidad sino màs bièn una dual percepciòn de la dualidad. Hay otra flor de la vida creada tambièn para el experimento Lucifer.

Cada vez que el experimento de Lucifer se ha intentado en el universo ha fracasado, las especies se aislan del amor y se convierten en masculinas abandonando el lado derecho del cerebro y trabajando el lado izquierdo, lo que acaba sucediendo que todo el mundo se vuelve codicioso, no hay compasiòn por los demàs acabando en una lucha y aniquilàndose asì mìsmos.

Màs de un millòn de años atràs, los seres de Marte se unieron a èste experimento de Lucifer, se separaron del universo y crearon una realidad a pàrte volaron su atmòsfera y destruyeron la superficie de su planeta.

Antes de que Marte fuera destruido, construyeron enormes piràmides tetraèdricas, con el tiempo construyeron una merkaba sintètica, fuè erosionada ya que al separarse de la conciencia, no pudieron crear una vida, simplemente la utilizaron como una herramienta, la crearon sintètica para viajar en el tiempo y encontrar un nuevo hogar.

Un grupo de marcianos intentò alejarse de Marte àntes de ser destruido y se encontraron a la tierra a unos 65.000 años en nuestro pasado, vieron èse vòrtice sin nadie allì y no pidieron permiso, entraron y al hacerlo se unieron y cambiaron nuestro camino evolutivo.

El padre de Thot fuè uno de los naacals que establecieron la Atlàntida, èsta isla, la pàrte superior del àrbol de la vida, era el cerebro de la Atlàntida, una ciudad llamada Poseidòn, es la ciudad de la cual nos habla Platòn cuando dijo que Poseidòn diò a luz a 10 hijos, refirìendose a los 10 cìrculos del àrbol de la vida.

Poseidòn se compone de très anillos pintados en negro, rojo y piedras blancas que era el sìmbolo de la Atlàntida, el cìrculo interior representa a los Naals, el del mèdio era el sacerdocio llamados Maya y el cìrculo del exterior representa a los regulares de la Atlàntida.

El sìmbolo para la Atlàntida fuè de tres anillos uno encima del otro, en el interior estaban los Naals, el anollo central se llamaba Maya y en el anillo exterior los atlantes.

El trabajo de los Mayas fuè la comunicaciòn de los mensajes dèsde el cìrculo intimo a la gente comùn de la Atlàntida, cuando se hundiò los mayas pusieron su conocimiento en una calavera de cristal con los recuerdos de la Atlàntida y su calendario y fueron a lo que hoy se conoce como la penìnsula de Yukatàn cuna de la civilizaciòn maya, su calendario es el màs avanzado y tiene su origen en la Atlàntida.

Habian unos pocos de miles de marcianos que vinieron a la tierra a travès del merkaba sintètico, lo primero que hicieron cuando llegaron fuè tratar de tomar todo el continente, trataron de invadir sin embargo, eran vulnerables debido a su escaso nùmero en comparaciòn con los millones de atlàntes y finàlmente los derrotamos pero no los podìamos mandar de vuelta.

Cuando èsto sucediò en nuestro camino evolutivo, tenìamos una conciencia planetaria de una niña de 14 años, asì es que tenìamos a una niña de 14 años que debia ser asumida por un hombre de 70, en realidad no fuè distinto a lo que hicieron los colonos a los nativos americanos.

Las cosas se calmaron durante algùn tiempo, pero pòco a pòco los marcianos comenzaron a implementar sus tecnologias, ganaron el control hàsta que finàlmente tenian todo el poder como era su intenciòn. Comenzaron las guerras hàsta hace aproximàdamente 26.000 años atràs.

Thot viviò en la Atlàntida por un tiempo muy largo, nos dijo que viò el càmbio de la tierra 5 veces, èsta es la fòrma de explicar porquè durante el càmbio de conciencia al final de Lemuria.

Lemuria se hundiò debajo de los ocèanos y se levantò la Atlàntida, si la corteza estaba girando en todo el planeta se llevaban a cabo muchos eventos geològicos tàles como continentes naciendo y desapareciendo.

26.000 años atràs, estàbamos exàctamente donde estamos hoy, en la precesiòn de los equinopcios, habìamos ido a travès de nuestra fase de estar dormidos y estàbamos a punto de despertar, fuè en èse tiempo donde hubo un pequeño cambio de conciencia, un trozo de la Atlàntida se hundiò en el ocèano y èsto les causò un gràn temor a los Atlantes ya que pensaron que perdian todo el continente al igual que pasò con Lemuria. Una de las cosas que perdieron con el càmbio de conciencia fuè su conexiòn con el futuro, no podian preever los grandes eventos como el hundimiento de su casa, despuès de 200 años el miedo comenzò a disminuir.

Hay que tener en cuènta tànto en la biblia como en los registros sumerios, los relatos de Adàn y Eva y todos sus hijos se registraron teniendo vidas exageràdamente largas como 900 años pòco màs o mènos.

Las cosas se calmaron durante algùn tiempo y entre 13.000 y 16.000 años atràs un cometa se acercò a la tierra, los atlantes se dieron cuènta àntes de que llegara y un gràn conflicto surgiò de nuevo, los marcianos querian volarlo con su tecnologia sin embargo los Naacals, habian comprendido la verdadera naturaleza de los cometas, dijeron que era òrden divino y debian permitir que se llevara a cabo en fòrma natural, los marcianos lucharon contra los atlantes pero al final se dieron por vencidos, se perdiò gràn pàrte de la poblaciòn y los marcianos empezaron a hacer las cosas por su cuènta y con su ira decidieron hacerse cargo de la tierra.

Comenzaron a construir un Merkaba sintètico como lo hicieron en marte, si lo conseguian controlarian absolùtamente todo el planeta, el ùnico problema era que habian pasado alrededor de 50.000 años dèsde que construyeron el anterior y no recordaban exàctamente como hacerlo, asì que perdieron el control y la destrucciòn fuè inmensa, el experimento comenzo a rasgar y abrir los niveles dimensionales, casi destruyeron la tierra, el desastre ambiental que estamos experimentando hoy en dia, no es nada en comparaciòn a los de hoy en dia, aunque los desastres de hoy son el resultado de esos acontecimientos.

Debido a èstas rupturas en los niveles dimensionales, un gràn nùmero de espìritus y seres dimensionales fueron expulsados de su zona de confort hacia èstos niveles màs altos, se vieron obligados a un mundo que no conocian o no entendian, èstos espìritus y seres para sobrevivir necesitaban cuerpos y empezaron a entrar en los cuerpos de las personas, por cada cuerpo humano habian cientos de ellos habitando en ellos, èstos seres eran terrìcolas como nosotros pero muy diferentes, no venian de èsta dimensiòn fuè una catàstrofe , probàblemente la màs grande que la tierra haya visto nùnca.

La razòn que los Naacals eran especiales, no era por su conciencia elevada ( por lo que eran los guias de la Atlàntida ), sino que habian conseguido la inmortabilidad, digamos que descubrieron la manera para mantener su cuerpo sano y joven durante el tiempo que quisieran, podian elegir morirse en cualquier momento y al encarnarse no sufririan la pèrdida de memoria, lo hicieron a travès de su conciencia expandida y a travès de meditaciones tàntricas.

A sì es como Thot era rey y sacerdote de la Atlàntida por miles de años, se quedò en la tierra hàsta hace 15 años cuando le diò todos sus recuerdos y su comprensiòn sobre la geometria sagrada a Drunvalo Melchizedek.

La Merkaba se fòrma por tres estrellas tetraèdricas superpuestas una sobre la otra, dos de ellas en contra-rotaciòn y la tercera queda estacionaria.

Cuando la Merkaba se fòrma con conciencia de unidad se fòrma intèrnamente de amor, pero cuando se hace con el experimento de Lucifer, se vuelve inestable y caòtica.

El intento de los marcianos en el control de todo el mundo, se llevò a cabo en una de las pequeñas islas que se le conocen hoy en dia como El Triàngulo de Las Bermudas, èsa merkaba sigue ahì en el fondo del mar.

Los Naacals lo hicieron lo mejor que pudieron para salvar la Atlàntida, se enviaron a la mayoria de los seres tridimensionales de vuelta, al mènos todos los que pudieron, sin embargo la situaciòn se puso muy mal. Todos los sistemas sociales, econòmicos etc.. se derrumbaron jùnto con todos los concèptos de como era la vida se rompieron.
Toda la Atlàntida comenzò a enfermarse con enfermedades raras y no conocidas fuè un gràn infierno.

Los Naacals no sabian que hacer eran niños con los acontecimientos que habian sido lanzados sobre ellos, el problema fuè revisado por muchos àltos niveles de vida ya que las dimensiones 11 y 12 son incomprensibles para nosotros, a demàs estàbamos cambiando de polaridad ya no pertenecìamos a la especie femenina y sòlo nos quedarian 13.000 años para volver a la conciencia crìstica ( de cristo ).

Normàlmente se necesitan cièntos de miles de años, para que una especie llegue a tal nivel de conciencia, hemos tenido que hacerlo en una fracciòn de tièmpo, si no lo hicìeramos no podrìamos sobrevivir.

Esto no ha sucedido nùnca en el universo, nùnca.

Thot que era el rey y sacerdote en la Atlàntida, en èse momento supo que tenia que realizar èse experimento en sì mìsmos, recibieron instrucciones de los niveles màs altos de vida y siguieron su camino.

Thot procediò a llamarse Ra y Aragat, que eran los reyes anteriores de los atlantes y comenzaron el experimento.

Despuès de completar el complejo en Egipto, Thot y sus amigos volvieron a la Atlàntida dònde tuvieron que esperar unos 200 años hasta que èste pùnto crìtico en la precesiòn de los equinopcios dònde los polos se desplazarian. Ellos sabian que la Atlàntida se hundiria y estaban listos, cuando Thot viò los cambios del signo polarvolvieron a la tierra de Khem y alzaron el bàrco de guerra en el cielo, volvieron a la Atlàntida y recogieron a los Naacals, los Naacals, no eran sòlo pasajeros sino todos y cada uno trabajaban en unidad para crear un Merkaba muy poderosa a su alrededor y en la nave volvieron a la gran piràmide y aterrizaron en la pàrte superior formando la proporciòn Phi con la piràmide, los polos comenzaron a cambiar y la conciencia y la conciencia humana empezò a caer en picado asì mìsmo los campos magnèticos y electromagnèticos de la tierra se derrumbaron y toda la vida en el planeta entrò en el vacio.

( LOS 3 DIAS DE OSCURIDAD)

Las Tablas De Esmeralda dicen que cada vez que pasamos por un cambio polar pasamos por un espacio vacio y que cambiamos nuestras frecuencias en cèrca de 3 dias y medio.
(En el documento troano està representado por 3 piedras y media pintadas de negro ) èsto se refiere a un momento en el que entramos en lo que la ciència llama ” La zòna nula electromagnètica”.

Durante el cambio de polos, un fenòmeno tiene lugar en lo que todo tiende a desaparecer por un tiempo determinado, en general es de entre 3 a 4 dias, la ùltima vez fuè de 3 dias y medio, aquì es dònde se pone interesante.

Lo que nos pasò no suele pasar a una especie normal porque la mayoria de las especies avanzadas tienen su Merkaba a mano en el momento del cambio, nosotros no lo hicimos debido a nuestra crisis y fuimos aspirados en el espacio vacio sin protecciòn, èsto diò lugar al hecho de perder nuestros recuerdos.

log_pir_47

.

 Gostou? Então Curta nossa página no Facebook.

eu_47 Seja amigo do autor do site no Facebook, e esteja sempre antenado em assuntos interesantes como este.

Posted in Construções Antigas | Leave a Comment »

Gigantesca rede de túneis de 12.000 anos descoberta na Europa

Posted by luxcuritiba em maio 3, 2013

piramidal.net | lojapiramidal.com

compartilhar

tunelesO arqueólogo alemão Heinrich Kush descobriu uma rede de túneis que se estende ao longo do território europeu, se espalhando desde a Escócia até a Turquia. A descoberta foi publicada no livro “Secrets Of The Underground Door To An Ancient World”.

Neste livro, o Dr. Henry Kush, pré-historiador e professor da Universidade Karl-Franzen em Graz, juntamente com sua esposa Ingrid, analisa a intrincada rede de túneis localizada na região de Styria, na Áustria, cuja finalidade permanece um mistério.

O historiador estima a idade da construção em 12.000 anos, remontando portanto à idade da pedra. Porém, teste de radiocarbono realizado em material orgânico encontrado no interior dos túneis data entre 950 e 1050.

Existem mais de 700 túneis na Baviera e mais 500 na Áustria, tendo os túneis principalmente um comprimento entre 20 e 50 metros. As passagens maiores são altas o suficiente para que as pessoas possam passar por eles em uma posição curvada, mas alguns são tão pequenos que os exploradores tem que se mover agachados. Muitas galerias estão ligadas a locais antigos de assentamentos. As entradas dos túneis às vezes são localizadas nas cozinhas de casas antigas, perto de igrejas e cemitérios ou no meio de uma floresta. Essas coisas foram construídas por pessoas que sabiam o que estavam fazendo. Vigas não foram usadas, e para as paredes suportarem os peso, os túneis seguem em zigue-zague. A cada trecho, há cavidades em que as lâmpadas para iluminação eram deixadas durante o trabalho.

kuschEm Beutelsbach havia um castelo que foi demolido no século XVIII, e os túneis foram, talvez, rotas de fuga para sair em caso de cerco. Outros acreditam que foram prisões para criminosos ou lugares de cura. Alguns também acreditavam que eles eram lugares de culto dos druidas, ou salas de espera para as almas antes de alcançar o paraíso. Pesquisadores como Weichenberger, acreditam que a função desses túneis era proteger os rebeldes húngaros conhecidos como Kurucos, que com o apoio dos turcos otomanos, saquearam áreas povoadas levando tudo o que tinha valor e matando aqueles que entravam em seu caminho.

Como resultado do grupo de cooperação internacional Erdstall, novas pistas vieram à luz. As galerias também estão concentradas em algumas partes da Irlanda e da Escócia, e também há galerias semelhantes no centro da França. Esta distribuição tem paralelos interessantes com as rotas seguidas pelos monges irlandeses e escoceses, que a partir do norte celta no século VI, viajaram por todo o continente como missionários. Alguns pesquisadores especulam que esses missionários cristãos primitivos também difundiram idéias pagãs, ensinamentos remanescentes dos antigos druidas, especialmente conceitos celtas da vida após a morte, o que levou à construção de galerias subterrâneas.

“Em toda a Europa, havia milhares deles – desde o norte da Escócia até o Mediterrâneo. A maioria não são muito maiores do que grandes buracos de minhoca – apenas 70 centímetros de largura – apenas o suficiente para uma pessoa passar esgueirando-se, mas nada mais. Eles são intercaladas com cantos, em alguns lugares o túnel é maior e há lugares, ou câmaras e salas de armazenamento”, afirma Heinrich Kush.

Um dos primeiros exploradores desse sistema de túneis foi o sacerdote Lambert Karner (1841-1909), que se arrastou pelos 400 buracos, com a ajuda de uma vela, e que descreveu “estranhas passagens com correntes de ar”, segundo a revista Der Spiegel.

A falta de qualquer indício sobre o porquê de sua existência fez com que muitos especialistas se referissem a essas construções como o último grande mistério da Europa. Enquanto isso, a tradição popular acredita que eles foram construídos e escavados por elfos, ou gnomos, figuras típicas do folclore celta.

Alguns especialistas afirmam que a rede de túneis funcionou como proteção para as pessoas contra predadores; outras acreditam que foi utilizada como caminho, para viagens com segurança, independentemente das guerras ou fatores climáticos.

Curiosamente, algumas das entradas começam na cozinha de alguma casa até a igreja, cemitério ou até mesmo leva à floresta. A melhor resposta encontrada até agora foi de que eram refúgios em caso de ataques surpresa, porém nenhum material orgânico ou outro objeto, como comida, foi encontrado.

O arqueólogo alemão Dr. Kusch, escreveu em seu livro “Segredos da Porta do Mundo Subterrâneo para o Mundo Antigo”, que apenas na Bavaria, na Alemanha, foram encontrados 700 metros de conexões subterrâneas, e que elas se espalham desde o norte da Escócia até o Mediterrâneo.

Ainda permanece um mistério como uma complexa e gigantesca rede de túneis foi criada há tanto tempo atrás.

Veja mais fotos abaixo (clique nas imagens para ampliar):

tuneles 2

tuneles 4

tuneles 5

tuneles 6

tuneles 7

tuneles 8

Fontes:
http://www.dailymail.co.uk
http://www.lamentiraestaahifuera.com
http://www.amazon.de

Piramidal no Facebook
.
●●● Gostou? Então curta nossa página no Facebook.
.
Autor
●●●
 Seja amigo do autor do site no Facebook e esteja sempre antenado em assuntos interessantes.

Posted in Construções Antigas | Leave a Comment »

Historia prohibida – Los Anunnaki [saga completa]

Posted by luxcuritiba em maio 3, 2013

banner

anunnaki

Documentário sobre a interpretação da história segundo a civilização Suméria, escrita em tabuletas de cerâmica do povo sumério, a civilização mais antiga da humanidade, de que se tem conhecimento atualmente. Segundo os sumérios, a humanidade atual foi criada pelos Anunnakis, os deuses (extraterrestes) vindos das estrelas, os quais manipularam o DNA da espécie humana na epoca do Homo Herectus, a fim de aperfeiçoar a raça humanoide e assim ter seres humanos inteligentes e hábeis o suficiente para prestar serviços e conviver com os povos evoluídos de outros planetas.

log_pir_47

.

 Gostou? Então Curta nossa página no Facebook.

eu_47 Seja amigo do autor do site no Facebook, e esteja sempre antenado em assuntos interessantes.

Posted in Construções Antigas, Textos relacionados | Leave a Comment »

Arquitetura Anunnaki – Construções megalíticas e monolíticas

Posted by luxcuritiba em maio 3, 2013

piramidal.net | lojapiramidal.com

compartilhar

cidade_perdida_japao_1 cidade_perdida_japao_2 cidade_perdida_japao_3 cidade_perdida_japao_4 cidade_perdida_japao_5 cidade_perdida_japao_6 cidade_perdida_japao_7 cidade_perdida_japao_8 cidade_perdida_japao_9 cidade_perdida_japao_11 cidade_perdida_japao_12 provas_yonaguni1 provas_yonaguni2 provas_yonaguni3 provas_yonaguni4 provas_yonaguni5 provas_yonaguni6 provas_yonaguni7 provas_yonaguni8 provas_yonaguni9 provas_yonaguni10 provas_yonaguni11 provas_yonaguni12 provas_yonaguni13 provas_yonaguni14 provas_yonaguni15 provas_yonaguni16 provas_yonaguni_sphynx provas_yonaguni_google
Yonaguni – A última imagem é de uma foto aérea tirada pelo Google Earth, do litoral asiático. A área detalhada em azul claro, corresponde ao local ocupado pelas ruínas, que supõe-se terem pertencido à Lemúria ou Atlântida.
stonehenge_1  stonehenge_2  kanchipuran_india1  kanchipuran_india2  lar_dragao_1  lar_dragao_2
Stonehenge Inglaterra
Kanchipuran India
Lar do dragão Grécia
 portal_leao  pascoa_1  pascoa_2  pascoa_3  pascoa_4  pascoa_5
Portal do leão Grécia
Os “moai” Ilha de Pascoa
 city_angkor_wat  city_angkor_wat_central_tower_thumb  evid_angkor  city_chichen-itza2  city_oaxaca_mexico  city_uxmal_mexico
Angkor Camboja
Chichen Itza Yucatan Mexico
Oaxaca Mexico
Uxmal Mexico
 tiahuanaco_peru_2  tiahuanaco_peru_3  tiahuanaco_peru_4  tiahuanaco_peru_5  tiahuanaco_peru_6  tiahuanaco_peru_7
Tiahuanaco Peru
 tiahuanaco_peru_8  tiahuanaco_peru_1  cidade_sacsayhuaman  cidade_chichen_itza_yucatan  cidade_perdida_china_1  cidade_perdida_china_2
Tiahuanaco
Sacsayhuaman Peru
Chichen Itza Yucatan Mexico
Pirâmides da China
 gize_1  gize_3  gize_4  gize_6  gize_7  gize_8
Esfinge de Gizé Egito
Pirâmides de Gizé
 zoser_1  zoser_2  zoser_3  zoser_4  zoser_5  zoser_6
Complexo de Zoser Egito
 zoser_7  zoser_8  zoser_9  zoser_10  zoser_11  zoser_12
Complexo de Zoser
 zoser_13  zoser_14  cidade_baalbek_1  cidade_baalbek_2  cidade_baalbek_3  cidade_perdida_cairo
Complexo de Zoser
Terraços de Baalbek Líbano
 templo_ramesses2  cidade_petra1  cidade_petra2  cidade_petra3  cidade_petrajordaniaegito  cidade_petramonastery
Templo de Ramesses II Egito
Cidade Petra, Jordânia/Egito


Piramidal no Facebook

.
●●● Gostou? Então curta nossa página no Facebook.
.
Autor
●●●
 Seja amigo do autor do site no Facebook e esteja sempre antenado em assuntos interessantes.

Posted in Construções Antigas | 1 Comment »

El libro de Enki (fragmento) parte 1 (espanhol)

Posted by luxcuritiba em abril 16, 2013

ZECHARIA-SITCHINHace unos 445.000 años, astronautas de otro planeta llegaron a la Tierra en busca de oro.

Tras amerizar en uno de los mares de la Tierra, desembarcaron y fundaron Eridú, «Hogar en la Lejanía». Con el tiempo, el asentamiento inicial se extendió hasta convertirse en la flamante Misión Tierra, con un Centro de Control de Misiones, un espaciopuerto, operaciones mineras e, incluso, una estación de paso en Marte.

Escasos de mano de obra, los astronautas utilizaron la ingeniería genética para darle forma a los Trabajadores Primitivos – el Homo sapiens. Más tarde, el Diluvio barrió la Tierra en una inmensa catástrofe que hizo necesario un nuevo comienzo; los astronautas se convirtieron en dioses y le concedieron la civilización a la Humanidad, transmitiéndosela a través del culto. Después, hace unos cuatro mil años, todo lo conseguido se desmoronó en una catástrofe nuclear provocada por los visitantes en el transcurso de sus propias rivalidades y guerras.

Todo lo ocurrido en la Tierra, y especialmente los acontecimientos acaecidos desde el inicio de la historia del ser humano, lo ha recogido Zecharia Sitchin en su serie de Crónicas de la Tierra, a partir de la Biblia, de tablillas de arcilla, de mitos de la antigüedad y de descubrimientos arqueológicos. Pero, ¿qué ocurrió antes de los acontecimientos en la Tierra, qué ocurrió en el propio planeta de los astronautas, Nibiru, que les llevó a los viajes espaciales, a su necesidad de oro y a la creación del Hombre?

¿Qué emociones, rivalidades, creencias, morales (o ausencia de éstas) motivaron a los principales protagonistas en las sagas celestes y espaciales? ¿Cuáles fueron las relaciones que llevaron a una escalada de la tensión en Nibiru y en la Tierra, qué tensiones surgieron entre viejos y jóvenes, entre los que habían llegado de Nibiru y los nacidos en la Tierra? ¿Y hasta qué punto lo sucedido vino determinado por el Destino -un destino cuyo registro de acontecimientos del pasado guarda la clave del futuro?

¿No sería prometedor que uno de los principales protagonistas, un testigo presencial que podía distinguir entre Suerte o Hado y Destino, registrara para la posteridad el cómo, el dónde, el cuándo y el porqué de todo, los Principios y los Finales?
Pues eso es, precisamente, lo que algunos de ellos hicieron; ¡y entre los principales de éstos estuvo el líder que comandó el primer grupo de astronautas!

Tanto expertos como teólogos reconocen en la actualidad que los relatos bíblicos de la Creación, de Adán y Eva, del Jardín del Edén, del Diluvio o de la Torre de Babel se basaron en textos escritos milenios antes en Mesopotamia, en especial escritos por los sumerios. Y éstos, a su vez, afirmaban con toda claridad que obtuvieron sus conocimientos acerca de lo acontecido en el pasado (muchos de ellos de una época anterior al comienzo de las civilizaciones, incluso anterior al nacimiento de la Humanidad) de los escritos de los Anunnaki («Aquellos Que del Cielo a la Tierra Vinieron»), los «dioses» de la antigüedad.

Como resultado de un siglo y medio de descubrimientos arqueológicos en las ruinas de las civilizaciones de la antigüedad, especialmente en Oriente Próximo, se han descubierto un gran número de estos primitivos textos; los hallazgos han revelado un gran número de textos desaparecidos -los llamados libros perdidos- que, o bien se mencionaban en los textos descubiertos, o se inferían a partir de ellos, o era conocida su existencia debido que habían sido catalogados en las bibliotecas reales o de los templos.

En ocasiones, los «secretos de los dioses» se revelaron en parte en relatos épicos, como en la Epopeya de Gilgamesh, que desvelan el debate que tuvo lugar entre los dioses y que llevó a la decisión de que la Humanidad pereciera en el Diluvio, o en un texto titulado Atra Hasis, que recuerda el motín de los Anunnaki que trabajaban en las minas de oro y que llevó a la creación de los Trabajadores Primitivos -los Terrestres. De cuando en cuando, los mismos líderes de los astronautas fueron los que crearon las composiciones; a veces, dictando el texto a un escriba, como en el titulado La Epopeya de Erra, en el cual uno de los dos dioses que desencadenaron la catástrofe nuclear intentó inculpar a su adversario; a veces, haciendo de escriba el mismo dios, como ocurre con el Libro de los Secretos de Thot (el dios egipcio del conocimiento), que el mismo dios había ocultado en una cámara subterránea.

Según la Biblia, cuando el Señor Dios Yahveh le dio los Mandamientos a su pueblo elegido, los inscribió en un principio por su propia mano en dos tablas de piedra que le entregó a Moisés en el Monte Sinaí. Pero, después de que Moisés arrojara y rompiera estas tablas como respuesta al incidente del becerro de oro, las nuevas tablas las inscribió el mismo Moisés, por ambos lados, mientras permaneció en el monte durante cuarenta días y cuarenta noches, tomando al dictado las palabras del Señor.

log_pir_47

.

 Gostou? Então Curta nossa página no Facebook.

eu_47 Seja amigo do autor do site no Facebook, e esteja sempre antenado em assuntos interessantes como este.

Posted in Construções Antigas, Tecnologia Antiga | Leave a Comment »

Puma Punku – Ruínas que Superam as Pirâmides de Gizé

Posted by luxcuritiba em abril 14, 2013

banner

Puma-Punku-Interlocking-WallHá mais de um milênio antes dos Incas forjarem um império pan-andina nas vastas montanhas dos Andes, na América do Sul, Tiwanaku surgiu como um importante centro da vida política, econômica e religiosa, na margem Sul do Lago Titicaca.

As ruínas de Puma Punku, próximas de Tiahuanaco, estão entre as mais interessantes e misteriosas da América do Sul. Pumu Punku é um conjunto de ruínas a cerca de um quilômetro ao sul de Tiahuanaco e, até onde se sabe, os arqueólogos e outros pesquisadores ainda não chegaram a uma conclusão se elas fazem parte de Tiahuanaco ou não. Certamente, são bem mais estranhas.

Quando as viu pela primeira vez, Däniken disse que parecia que todo o lugar tinha sido virado de cabeça para baixo. Escadarias gigantescas ao contrário, como num quadro de Escher, construções cuja finalidade ninguém conhece, mas colocadas inteiras viradas para baixo.

log_pir_47

.

 Gostou? Então Curta nossa página no Facebook.

eu_47 Seja amigo do autor do site no Facebook, e esteja sempre antenado em assuntos interessantes como este.

Posted in Construções Antigas | Leave a Comment »

Atlantida, o Continente Perdido

Posted by luxcuritiba em abril 10, 2013

banner

atlantida5

Concepção artística do que seria Poseidonis, capital da Atlântida.

Milhares de anos após ter submergido (em 10.986 a.C.) nas profundezas frias e escuras do oceano Atlântico, o continente insular da Atlântida continua sendo um dos mistérios mais intrigantes da História.

A história antiga da humanidade em grande parte se constitui um enigma, enigma esse devido à ignorância das pessoas que a escreveram e dataram certos eventos. Podemos perceber isto tendo em vista, por exemplo, o que dizem a respeito da esfinge, pois atualmente estudos provam que ela data de 12.000 a.C. a 10.500 a.C., enquanto a história que divulgam a datam com uma idade de apenas desde 4.000 a.C.

Thoth3126@gmail.com

Do Mito à Realidade (A Magnífica Tróia)

Outra indagação que deve ser feita diz respeito à distribuição de pirâmides no mundo. Elas são encontradas não somente no Egito, mas também na China e na América Central, mostrando a interligação dessas culturas no passado. O que interliga todas essas civilizações antigas? A única resposta que melhor responde a essas perguntas, e outras a respeito do mundo antigo, é a existência da Atlântida. Mas antes de continuarmos no assunto Atlântida, vamos discorrer rapidamente por Tróia:

Por muito tempo se acreditou que a História de glória e da destruição de Tróia, com suas altas muralhas, não passasse de um mito. As epopéias que descrevem a cidade, llíada e a odisséia de Homero, são anteriores a 700 a.C. Embora os gregos antigos lessem o grande poeta como apenas literatura.

Coube a Heinrich Schliemann, um milionário, um pseudo arqueólogo diletante e sonhador do século XIX, provar que os eruditos estavam errados (e na maioria das vezes eles estão errados…). Obstinado e romântico, o negociante alemão tinha certeza que Homero contara a verdade sobre Tróia. No final da década de 1860, Schliemann convenceu-se de que a aldeia turca de Hissarlik, com suas colinas semelhantes a fortins, lembrava a cidade descrita na llíada. Em 1871 deu início às escavações.

Troy

Logo descobriu que realmente havia uma cidade sob as “fortalezas” de Hissarlik. Na verdade, vários estágios de uma antiga cidade estavam enterrados em camadas superpostas. E uma dessas camadas, queimada por fogo, parecia-se muito com a Tróia de Homero. A primeira fonte de informação que chegou ao mundo moderno é sem dúvida os escritos de Platão.

Foi ele quem primeiro falou da existência de uma ilha então submersa à qual foi dado o nome de Atlântida. Platão tomou conhecimento da Atlântida através de Sólon, que, por sua vez lhe foi referido por sacerdotes egípcios, num dos templos da cidade egípcia de Saís. Na verdade a Atlântida data de pelo menos 100.000 a.C., então constituindo não uma ilha e sim um imenso continente que se estendia desde a Groelândia até o Norte do Brasil.

Figuras-hor19

Muralhas de Tróia.

Pressupõem que os atlantes chegaram a conviver com os lemurianos, que viviam num continente no Oceano Pacifico aproximadamente onde hoje se situa o Continente Australiano. Naquele continente Atlante havia muitos terremotos e vulcões e foi isto a causa de duas das três destruições que acabaram por submergi-lo. A terceira destruição não foi determinada por causas naturais. Na primeira destruição, em torno de 50.000 a.C. várias ilhas que ficavam junto do continente atlante afundaram, como também a parte norte do continente que ficava próximo a Groenlândia, em decorrência da ação dos vulcões e terremotos.

A segunda destruição, motivada pela mudança do eixo da Terra, ocorreu em torno de 28.000 a.C., quando grande parte do continente afundou, restando algumas ilhas, das quais uma que conectava o continente Atlante à América do Norte. E a terceira foi exatamente esta onde floresceu a civilização citada por Platão e que por fim foi extinta, em uma só noite, afundando-se no mar restando apenas as partes mais elevadas que hoje corresponde aos Açores descrita por Platão. Para se estudar bem a Atlântida deve-se considerar que esse nome diz respeito a três civilizações distintas, pois em cada uma das destruições os que restaram tiveram que recomeçar tudo do início.

Atlântida 100.000 a.C. a 50.000 a.C.

Sobre a Atlântida antes da primeira destruição (antes de 50.000 a.C.) pouco se sabe. Diz-se haver sido colonizada pelos lemúrios que haviam fugido do continente onde habitavam, também sujeito a cataclismos imensos, quando então se estabeleceram correntes migratórias fugitivas das destruições que ocorriam na Lemúria, algumas delas dirigiram-se para o Sul Atlântida.

Estes primeiros Atlantes julgavam a si pelo caráter e não pelo que tinham e viviam em harmonia com a natureza. Pode-se dizer que 50% de suas vidas eram voltadas ao espiritual e os outros 50% para o lado prático, vida material.

Edgar Cayce afirma que dois grupos diversos tiveram grande poder nessa época, um deles chamados de “Os Filhos de Belial” (os filhos das Trevas). Estes trabalhavam pelo prazer, tinham grandes posses, mas eram espiritualmente imorais. Outro grupo chamado de “As Crianças da Lei do Uno“( os filhos da Luz), era constituído por pessoas que invocavam o amor e praticavam a reza e a meditação juntas, esperando promover o conhecimento divino. Eles se chamavam “As Crianças da Lei Um” porque acreditavam em Uma Religião, Um Estado, Uma Casa e Um Deus, ou melhor, que Tudo é Um.

Logo após essa divisão da civilização atlante, foi que ocorreu a primeira destruição da Atlântida, ocasião em que grande número de imensos vulcões entrou em erupção. Então uma parte do povo foi para a África onde o clima era muito favorável e possuíam muitos animais que podiam servir como fonte de alimentação. Ali os descendentes dos atlantes viveram bem e se tornaram caçadores. A outra parte direcionou-se para a América do Sul onde se estabeleceu na região onde hoje é a Bacia Amazônica.

Biologicamente os atlantes do grupo que foi para a América do Sul começaram a se degenerar por só se alimentarem de carne pensando que com isso iriam obter a força do animal, quando na verdade o que aconteceu foi uma progressiva perda das habilidades psíquicas. Assim viveram os descendentes atlantes até que encontraram um povo chamado Ohlm, remanescentes dos descendentes da Lemúria, que os acolheram e ensinaram-lhes novas técnicas de mineração e agricultura.

As duas partes que fugiram da Atlântida floresceram muito mais do que aquela que permanecera no continente, pois em decorrência da tremenda destruição os remanescentes praticamente passaram a viver como animais vivendo nas montanhas durante 4.000 anos, após o que começaram a estabelecer uma nova civilização.

Atlântida 48.000 a.C. a 28.000 a.C.

Os atlantes que estabeleceram uma nova civilização na Atlântida começaram de forma muito parecida com o inicio da colonização que os Lemúrios fizeram na Atlântida. Eles se voltaram a trabalhar com a natureza e nisso passaram milhares de anos, mas com o avanço cientifico e tecnológico também começaram a ficar cada vez mais agressivos, materialistas e decadentes. Os tecnocratas viviam interessados em bens materiais e desrespeitando a religião. A mulher se tornou objeto do prazer; crimes e assassinatos prevaleciam, os sacerdotes e sacerdotisas praticavam o sacrifício humano.

Os atlantes se tornaram uma civilização guerreira. Alguns artistas atlantes insatisfeitos fugiram para costa da Espanha e para o sudoeste da França, onde até hoje se vêem algumas de suas artes esculpidas nas cavernas. Em 28.000 a.C. com a mudança do eixo da Terra, os vulcões novamente entraram em grande atividade acabando por acarretar o fim da segunda civilização atlante. Com isso novamente os atlantes fugiram para as Antilhas, Yucatan, e para a América do Sul.

Atlântida 28.000 a.C. a 11.000 a.C.

487px-Townsend_Lloyd_K_-_Atlantis

Ilustração de Lloyd K. Townsend de como seria Atlântida.

Esta foi a Civilização Atlante descrita por Platão. Mais uma vez tudo se repetiu, os que ficaram recomeçaram tudo novamente, recriando as cidades que haviam sido destruídas, mas inicialmente não tentando cometer os mesmos erros da florescente civilização passada. Eles unificaram a ciência com o desenvolvimento espiritual a fim de haver um melhor controle sobre o desenvolvimento social.

Começaram a trabalhar com as forças da natureza, tinham conhecimento das hoje chamadas linhas Hartman e Linhas Ley que cruzam toda a Terra, algo que posteriormente veio a ser muito utilizado pelos Celtas (também descendentes dos atlantes) que construíram os menires e outras edificações em pedra.  Vale salientar que eles acabaram por possuir um alto conhecimento sobre a ciência dos cristais, que usavam para múltiplos fins, mas basicamente como grandes potencializadores energéticos, e fonte de registro de informações, devido a grande potência que o cristal tem de gravar as coisas. Os Atlantes tinham grande conhecimento da engenharia genética, devido a isso tentaram criar “raças puras”, raças que não possuíssem nenhum defeito. Esse pensamento persistiu até o século XX para ser uma das bases do nazismo e persiste no mito do “Povo Eleito”.

Os Atlantes detinham grandes conhecimentos sobre as pirâmides, há quem diga que elas foram edificadas a partir desta civilização e que eram usadas como grandes condutores e receptores de energia cósmica, o que, entre outros efeitos, fazia com que uma pessoa que se encontrasse dentro delas, especialmente a Grande Pirâmide, entrava em estado alterado de consciência quando então o sentido de espaço-tempo se alterava totalmente.  É certo que os habitantes da Atlântida possuíam um certo desenvolvimento das faculdades psíquicas, entre as quais a telepatia, embora que muito aquém do nível atingido pelos habitantes da primeira civilização. Construíram aeroplanos, mas nada muito desenvolvido, algo que se assemelharia mais ao que é hoje é conhecido como “asa delta“.

Isto foi confirmado através de gravuras em certos hieróglifos egípcios e maias. Também em certa fase do seu desenvolvimento os atlantes foram grandes conhecedores da energia lunar, tanto que faziam experiências muito precisas de conformidade com a fase da Lua. A par disto foram grandes conhecedores da astronomia em geral. Na verdade os atlantes detiveram grandes poderes, mas como o poder denigre o caráter daquele que não está devidamente preparado para possuí-lo, então a civilização começou a ruir.

Eles começaram a separar o desenvolvimento espiritual do desenvolvimento científico. Sabedores da manipulação dos gens eles desenvolveram a engenharia genética especialmente visando criar raças puras.

Isto ainda hoje se faz sentir em muitos povos através de sistemas de castas, de raça eleita ou de raça ariana pura. Em busca do aperfeiçoamento racial, como é da natureza humana o querer sempre mais os cientistas atlantes tentaram desenvolver certos sentidos humanos mediante genes de espécies animais detentoras de determinadas capacidades.

Tentaram que a raça tivesse a acuidade visual da águia, e assim combinaram genes deste animal com genes humano; aprimorar o olfato através de genes de lobos, e assim por diante. Mas na verdade o que aconteceu foi o pior, aqueles experimentos não deram certo e ao invés de aperfeiçoarem seus sentidos acabaram criando bestas-feras, onde algumas são encontradas na mitologia grega e em outras mitologias e lendas.  Ainda no campo da engenharia genética criaram algumas doenças que ainda hoje assolam a humanidade.

A moral começou a ruir rapidamente e o materialismo começou a crescer. Começaram a guerrear. Entre estas foi citada uma que houve com a Grécia, da qual esta foi vitoriosa. Enganam-se os que pensam que a Grécia vem de 2 000 a.C. Ela é tão velha quanto  o Egito e isto foi afirmado a Sólon pelo sacerdote de Sais. Muitos atlantes partiram para onde hoje é a Grécia e com o uso a tecnologia que detinham se fez passar por deuses dando origem assim a mitologia grega, ou seja, constituindo-se nos deuses do Olimpo.

Por último os atlantes começaram a fazer experimentos com displicência de forma totalmente irresponsável com cristais e como conseqüência acabaram canalizando uma força cósmica, que denominaram de “Vril”, sob a qual não tiveram condições de controlá-la, resultando disso a destruição final de Atlântida, que submergiu em um único dia.

Para acreditar que um continente tenha submergido em uma noite não é muito fácil, mas se analisarmos pelo suposto lado tecnológico que utilizavam, veremos até que provavelmente seria mais avançado que o nosso, o poder do cristal é muito maior do que imaginamos, os cristais estão presentes no avanço tecnológico, um computador é formado basicamente de cristais e o laser é feito a partir de cristais.

Mas antes da catástrofe final os Sábios e Sacerdotes atlantes, juntamente com muitos seguidores, cientes do que adviria daquela ciência desenfreada e conseqüentemente que os dias daquela civilização estavam contados, partiram de lá, foram para vários pontos do mundo, mas principalmente para três regiões distintas: O nordeste da África onde deram origem a; para América Central, onde deram origem a; e para o noroeste da Europa, onde bem mais tarde na Bretanha deram origem à Civilização Celta.

A corrente que deu origem a civilização egípcia inicialmente teve muito cuidado com a transmissão dos ensinamentos científicos a fim de evitar que a ciência fora de controle pudesse vir a reeditar a catástrofe anterior. Para o exercício desse controle eles criaram as “Escolas de Mistérios”, onde os ensinamentos eram velados, somente sendo transmitidos às pessoas que primeiramente passassem por rigorosos testes de fidelidade.Os atlantes levaram com eles grandes conhecimentos sobre construção de pirâmides, e sobre a utilização prática de cristais, assim como conhecimentos elevados de outros ramos científicos como, a matemática, geometria, etc.

funerary

No centro do painel o rei sacerdote de Atlântida, depois o sacerdote e escriba dos deuses no Egito chamado de Thoth (o criador dessa civilização, após o Dilúvio – afundamento de Atlântida- obedecendo as instruções dos Mestres da Grande Fraternidade Branca).

Pesquisas recentes datam a Esfinge de Gizé sendo de no mínimo 10.000 a.C. e não 4.000 a.C. como a “egiptologia clássica” afirma. Edgar Cayce afirmou que embaixo da esfinge existe uma sala na qual estão guardados documentos sobre a Atlântida, atualmente já encontraram uma porta que leva para uma sala que fica abaixo da esfinge, mas ainda não entraram nela. A Ordem Hermética (Hermes=Thoth) afirma a existência não de uma sala, mas sim de doze.

A corrente que deu origem a civilização maia, foi muito parecida com a corrente que deu origem a civilização egípcia. Quando os atlantes que migraram para a Península de Yucatã antes do afundamento final do continente, eles encontraram lá povos que tinham culturas parecidas com a deles, o que não é de admirar, pois na verdade lá foi um dos pontos para onde já haviam migrado atlantes fugitivos da segunda destruição.

Também os integrantes da corrente que se direcionou para o Noroeste da Europa, e que deu origem mais tarde aos Celtas, tiveram muito cuidado com a transmissão do conhecimento em geral. Em vez de optarem para o ensino controlado pelas “Escolas de Mistérios” como acontecera no Egito, eles optaram por crescer o mínimo possível tecnologicamente, mas dando ênfase especialmente o conhecimento sobre as Forças da Natureza, sobre as energias telúricas, sobre os princípios que regem o desenvolvimento da produtividade da terra.

Conheciam bem a ciência dos cristais, e da magia, mas devido ao medo de fazerem mal uso dessas ciências eles somente utilizavam-nos, mas no sentido do desenvolvimento da agricultura, da produtividade dos animais de criação, etc. Atualmente as pessoas vêem a Atlântida como uma lenda fascinante, como algo que mesmo datando de longa data ainda assim continua prendendo tanto a atenção das pessoas. Indaga-se do porquê de tanto fascínio? Acontece que ao se analisar a história antiga da humanidade vê-se que há uma lacuna, um hiato, que falta uma peça que complete toda essa história.

Muitos estudiosos tentam esconder a verdade com medo de ter que reescrever toda a história antiga, rever conceitos oficialmente aceitos. Mas eles não explicam como foram construídas as pirâmides, como existiram inúmeros artefatos e achados arqueológicos encontrados na Ásia, China, Índia, África e Américas e que estão todos inter-relacionados; e outros monumentos que até hoje são um enigma.

Os menires encontrados na Europa, as obras megalíticas existentes em vários pontos da terra, os desenhos e figuras representativas de aparelhos e até mesmo de técnicas avançadas de várias ciências, os autores oficiais não dão qualquer explicação plausível. Os historiadores não acreditam que um continente possa haver afundado em uma noite, mas eles esquecem que aquela civilização foi muito mais avançada que a nossa.

Foram encontradas, na década de 60, ruínas de uma civilização no fundo do mar perto dos Açores, onde foram encontrados vestígios de colunas gregas e até mesmo um barco fenício. Atualmente foram encontradas ruínas de uma civilização que também afundou perto da China.

As pessoas têm que se conscientizar de que em todas as civilizações em que a moral ruiu, elas começaram a se extinguir, e atualmente vemos isso na nossa civilização, e o que é pior, na nossa civilização ela tem abrangência mundial, logo se ela ruir vai cair todo o mundo.

yonaguni_01

Ruínas submersas em Yonaguni, no Japão.

Então o mais importante nessa história da Atlântida não é o acreditar que ela existiu e sim aprender a lição para que nós não enveredemos pelo mesmo caminho, repetindo o que lá aconteceu. Segundo Platão, o continente era cercado de ilhas, e era tão grande quanto a Asia e a Líbia juntas, a Atlântida era regida pelo deus Poseidon:

“Atlântida, a ilha, situada a oeste das Colunas de Hércules (o atual Estreito de Gibraltar). “Quando os deuses fizeram a partilha do mundo, a Atlântida coube a Netuno [Poseidon], que ali viveu em companhia de Cleito [ou Clito]. De sua união com a mortal nasceram dez filhos, dos quais o mais velho era Atlas. Atlas recebeu do pai a supremacia da ilha, que dividiu em 10 partes, tomou uma para si e dividiu as restantes entre seus irmãos. “Punida por seus vícios e seu orgulho, a Atlântida foi engolida pelo oceano”.

A capital da nação (Poseidonis) era uma verdadeira maravilha da arquitetura e engenharia, a cidade era composta de uma série de canais e muros concêntricos. Platão pretendia fazer um grande relato sobre Atlântida, uma narrativa digna do relato de Sólon. Porém o filósofo morreu antes que pudesse terminar seu trabalho.

Atlântida,  a origem do Antigo Egito

A menção mais conhecida sobre o continente de Atlântida, é a do filósofo grego Platão, que descreveu Atlântida como sendo um reino situado a oeste das colunas de Hércules (hoje, o estreito de Gibraltar no mar Mediterrâneo). Platão tomou conhecimento de Atlântida através de Sólon, que ouviu a história de sacerdotes egípcios num templo na antiga cidade egípcia de Saís.

O filósofo jamais revelou se a história do reino que foi completamente submerso nas profundezas do mar, era real ou não. Usou uma série de personagens para expressar suas idéias, dentre eles, estava Kritias que dizia que Atlântida era uma história que estava em sua família passada de geração para geração.

No centro da capital havia um monte, e no topo, um templo com uma estátua de Posseidon com seis cavalos alados, completamente feitos de ouro. Platão descreve os atlantes como um povo pacífico, mantinham comércio com os povos dos outros continentes, porém, com o passar do templo, se tornaram cobiçosos e corruptos. O deus Posseidon castigou os atlantes jogando o continente inteiro nas profundezas do mar, para que ninguém jamais encontrasse a civilização novamente.

No diálogo de Timaeus, Platão narra que Atlântida iria expandir seus domínios:

“Agora nesta ilha de Atlântida havia um grande e maravilhoso império que governou em toda a ilha e em várias outras, e em partes do continente”

“e depois, os homens da Atlântida dominaram as partes da Líbia dentro das colunas de Hércules até o Egito e a Europa, até a Tyrrhenia (mar que banha a costa oeste da Itália).”

“Mas depois ocorreram ali violentos terremotos e inundações e num único dia e noite de infortúnio, todos os seus guerreiros afundaram na terra e a ilha de Atlântida desapareceu nas profundezas do mar.”

A região do Triângulo das Bermudas é um local onde se vê muitos UFOs mergulhando  no oceano, se deslocando submersos na água como submarinos e saindo de dentro do oceano e disparando para fora do espaço terrestre em altas velocidades.

Registros Egípcios

Existem antigos registros egípcios sobre uma nação que foi submersa  no oceano por conseqüência de uma catástrofe,  Kaftiu. As duas histórias são semelhantes. Kaftiu ficava a oeste do antigo Egito, e Atlântida a oeste no oceano atlântico. Kafkiu era uma ilha enorme que ficava no oceano atlântico, mas não necessariamente a oeste do mediterrâneo. Parece que as ilhas relacionadas (ex. Santorini/Thera que foi parcialmente destruída por erupção vulcânica em 1.650 a.C.) podem ter sido parte da mesma cultura. A nação da lenda egípcia também era pacífica, e possuía elefantes.

Existem registros do povo minóico que poderiam fazer parte da mesma cultura atlante. Os minóicos vendiam marfim para os egípcios 20 séculos antes de cristo. Os mapas da Atlântida feitos por Platão teriam semelhança com a geografia da antiga Creta.

Outros fatos

Antigos escritos Maias e aztecas também falam sobre a destruição de uma nação que foi tragada pelo mar. Os hieróglifos fenícios foram encontrados em numerosas ruínas na América do Sul que são tão antigas que o povo indígena que vive lá não sabe mais quem as construiu.

O historiador grego Timagenus escreveu sobre a guerra entre Atlântida e Europa. Antigas tribos da frança diziam que Atlântida era seu lar original, e pinturas brilhantes em cavernas antigas mostram pessoas usando roupas do século 20. Também existem relatos dos Incas sobre a destruição de Atlântida que possuía uma tecnologia avançada, mas foi destruída por terremotos e gigantescas ondas.

Também existem menções sobre Atlântida em antigas tribos indígenas dos EUA e do México, no Tibete e na ilha de páscoa também existem citações. Os alemães e os escandinavos nórdicos falaram de um continente desaparecido no Oceano Atlântico Norte, chamado Thule.

O médium Edgar Cayce e Atlântida

Cayce foi um sensitivo americano que nasceu em 1877 e morreu em 1945. Ele conseguia dizer para as pessoas o que elas tinham sido em outras vidas, quando era criança, conversava com pessoas que ninguém mais via, inclusive seu falecido avô. Também curava, bastava dar a ele o nome e o endereço que ele medicava e relatava o diagnóstico exato da enfermidade que a pessoa possuía. Muitas vezes durante as sessões, Cayce dizia:

-não posso atender fulano, pois ele não se encontra nesse endereço, e mais tarde se averiguava que a pessoa havia saído naquele exato instante mesmo. Cayce sabia o que as pessoas haviam sido em vidas passadas graças a um estado hipnótico que ele se auto-impunha, só conseguia prever e enxergar coisas quando estava em transe. No dia-a-dia era um homem normal e religioso.

É importante lembrar que Cayce vaticinou com precisão o estouro da bolsa em 1929, o assassinato do presidente Kennedy e muitos outros acontecimentos que realmente ocorreram. Para ele, passado, presente e futuro era uma coisa só. Não se detinha nas coisas que sabemos e conhecemos, ultrapassava as barreiras do tempo, avançando e voltando em mundos dos quais só nos restam conhecimentos fragmentários através de lendas e vagas alusões…

Previu em 1940 que cerca de 28/29 anos depois, ou seja, em 1968/69, um templo da Atlântida viria a superfície próximo a Bimini. Tal não foi a reação da imprensa e dos meios científicos quando em 1968, assim como havia sido previsto por Cayce, diversas construções submarinas começaram a aparecer nas proximidades de Bimini. próximo a cuba, foi encontrada uma estrada que parece ser um antigo muro, que desaparece nas profundezas do mar (Bimini Road, Ver mais em: http://thoth3126.com.br/bimini-road-atlantida-misterios-nao-resolvidos-do-mundo/.

Ao descrever a Atlântida, Cayce disse que a parte afundada estava localizada no fundo do Oceano perto das Bahamas e que estas constituíam os picos da ilha afundada de Poseidia. Cayce afirmou também que as terras próximas a Bimini, seriam as terras mais altas do continente afundado. A isso se junta o fato de ao sul deste ponto haver um abismo de cerca de 18 mil pés (aproximadamente 5400 metros de profundidade).

Outras ruínas submarinas posteriormente encontradas, próximas a outras ilhas do Caribe, incluindo o que parece ser uma cidade inteira submersa perto da costa do Haiti e outra ainda, no fundo de um lago.

Ainda em 1968, foi descoberta uma espécie de estrada submarina, ao norte de Bimini, desaparecendo nas profundezas do mar.

Pesquisas estão sendo levadas a cabo, para descobrir se as ruínas são dos Maias ou se fazem parte realmente dos feitos de outra e mais antiga civilização. Segundo Edgard Cayce, o fim da civilização atlante deu-se devido a fatores como descontentamento do povo, escravidão dos trabalhadores e “misturas” (experiências genéticas entre humanos e animais), sacrifícios humanos, adultério, fornicação generalizada e mau uso das forças da natureza, práticas que hoje identificamos como Magia Negra da pior espécie.

Cayce relatou também, que os habitantes de Atlântida possuíam cultura elevada, e sua tecnologia superava em muito a de nossa época. Consta que sabiam enfeixar a luz solar em grandes cristais, empregando essa energia como força motriz, fonte de calor e armamento. Poderia tratar-se de uma espécie de raio laser, inventado após a morte de Cayce. Portanto, ele nada sabia a respeito. Cayce descrevia o cristal:

– A pedra foi ativada pelos raios do sol. Ela enfeixa a luz e o cristal atua sobre instrumentos conectados aos diversos meios de transportes, assim como funciona o telecomando através do rádio.

Construções submersas em bimini no Mar do Caribe

at-1O rubi, conforme Cayce denominava às vezes o cristal, estava instalado em grandes edifícios, com cúpulas e telhas corrediças. Seus raios atravessavam pedra e aço-Os raios não eram visíveis aos olhos, porém atuavam sobre cristais nos motores. Cayce descreve aeronaves movidas a gás, fala de veículos para recreação, que deslizavam pouco acima do chão, e de veículos submarinos. Ele fala de uma ampla reunião de cúpula de numerosas nações na Atlântida, há cerca de 50.000 anos. Diz que o assunto principal da conferência era estudar medidas preventivas contra os grandes bandos de animais gigantescos que dominavam a terra. A Atlântida os teria eliminado com seus raios da morte.

Como construíram cidades cada vez maiores, os recursos naturais destinados à alimentação começaram a escassear. A exploração predatória das montanhas, vales e depois no mar levou a acelerada degradação das terras e da população. Em sua aflição, o povo da Atlântida aumentava cada vez mais a carga de cristais energéticos.  Por fim eles se tornaram excessivamente potentes e desencadearam forças da natureza. O continente foi primeiro despedaçado por violentas erupções vulcânicas, que lançaram pelos ares rochas enormes e por fim mergulhou no mar. Neste mesmo evento cataclísmico houve a inversão dos pólos magnéticos e inclinação do eixo norte/sul de 23° do planeta.

Alguns milhares de pessoas sobreviveram a catástrofe, diz Cayce: -A primeira migração foi para a região dos pireneus. Isto explicaria a existência dos bascos, um povo entre a frança e Espanha, que pouco tem em comum com seus vizinhos. O idioma basco é totalmente estranho na Europa. O povo jamais conseguiu se adaptar e se entrosar. Mais tarde emigraram os que se misturaram a povos negros ou mestiços, constituindo posteriormente a dinastia egípcia e os grupos dos quais descendem os incas.

O famoso triangulo das bermudas fica próximo a Bimini. Exatamente o local onde o médium Edgar Cayce disse que encontrariam parte de Atlântida. O triangulo das bermudas é uma área de 3.950.000 km² (do tamanho da Índia) no oceano atlântico. Existe uma grande anomalia magnética nesta região, muitos navios e aviões perdem-se no triângulo por que suas bússolas, equipamentos de rádio e radares ficam desorientadas. Também é comum navios e aviões desaparecerem por lá. O caso mais famoso do triangulo das bermudas é o desaparecimento do vôo 19.

atlantida mapa 2

Provável localização de Atlântida à oeste da África no Atlântico norte.

Curiosidades e coincidências

A famosa história bíblica do dilúvio passa a história de um descontentamento de Deus com os rumos que a civilização humana estava tomando, e conseqüentemente a humanidade foi tragada por águas que cobriram o planeta inteiro (não pode-se deixar de reparar na semelhança com Atlântida). A esfinge, no antigo Egito (estatua colossal, que ninguém sabe até hoje como os egípcios conseguiram construir, ou o quê ela significa) pode ser uma construção derivada da cultura dos atlantes, que era muito presente em muitos povos daquela época.

As próprias pirâmides são construções encontradas nos sete cantos do mundo. Pirâmides podem ser encontradas no Egito, na China e na América Central (recentemente foram descobertas na Europa, na Bósnia-Herzegóvina), provando que todas essas civilizações tinham uma conexão antigamente. Existem construções maias com desenhos de elefantes nas paredes. Como? como poderiam saber sobre a existência de um animal que só pode ser encontrado na África?

“Serão tudo isso coincidências, ou alguma coisa conectava realmente todas essas civilizações?”

http://thoth3126.com.br/atlantida-o-continente-perdido/

log_pir_47

.

 Gostou? Então Curta nossa página no Facebook.

eu_47 Seja amigo do autor do site no Facebook, e esteja sempre antenado em assuntos interessantes como este.

Posted in Construções Antigas | Leave a Comment »

 
%d blogueiros gostam disto: