Piramidal.net

Tudo o que você sempre quis saber sobre pirâmides.

  • Pirâmide de cobre C130

  • Pirâmide de alumínio A150

    Pirâmide de alumínio A150

  • Pirâmide de alumínio A150

    Pirâmide de alumínio A150

  • Pirâmide de cobre C150

    Pirâmide de cobre C150

  • Pirâmide de alumínio A130

    Pirâmide de alumínio A130

  • Incenso japones aroma orvalho

    Incenso japones aroma orvalho

  • Incenso japones aroma jasmim

    Incenso japones aroma jasmim

  • Pirâmide de latão fechada

    Pirâmide de latão fechada

  • Fórum sobre jejum, alimentação prânica (viver de luz) e temas relacionados

O Poder da Pirâmide & 2012 – Parte 1

Posted by luxcuritiba em junho 4, 2012

banner

Valery Uvaro

Esta página é uma reformatação da versão original publicada no Projeto Camelot.

Valery Uvarov em “O Poder da Pirâmide & 2012” – Parte 1
São Petersburgo, Rússia, 2007

Filmado, editado e dirigido por Kerry Cassidy e Bill Ryan

Clique aqui para acessar os vídeos disponíveis
(Parte 2 continua aqui.)

Dr. Valery Uvarov é o chefe do Departamento de Pesquisa de OVNI, Paleociências e Paleotecnologia da Academia de Segurança National da Rússia, ele dedicou mais de 15 anos a ufologia, bem como ao estudo do legado de civilizações antigas.

Valery fala um inglês excelente e ele é bem conhecido no ocidente, tendo sido convidado para falar em uma série de conferências americanas de OVNIs. Notavelmente, ele foi convidado a participar do evento muito exclusivo, patrocinado por Rockefeller, em 1995, no Rancho Alisal. A primeira pessoa que nos falou sobre esse evento foi Bill Holden.

Em outubro de 2007, Valery convidou o Projeto Camelot a ir a casa dele, em São Petersburgo, para apresentar algumas teorias polêmicas por trás do incidente de Tunguska em 1908, o significado de 2012 e a mudança de pólo magnético que ocorrerá – e descreve a construção russa intrigante de nove grandes pirâmides entre São Petersburgo e Moscou. A intenção desta experiência fascinante é ao mesmo tempo pesquisar novas abordagens para a cura do câncer e usar as pirâmides como uma espécie de dispositivo de centralização durante os próximos anos, à medida que nos aproximamos do plano galático.

Valery estava representando o governo russo, quando ele falou conosco, e tem sido um dos principais pesquisadores e porta-vozes russos na área de OVNIs e consciência. Embora suas idéias sejam controversas, a entrevista revela um pouco da experiência pessoal muito interessante dele e oferece uma ou duas pistas sobre como o governo russo pode estar preparando-se para às mudanças que podem vir no futuro.

Início da Entrevista
Kerry Cassidy (KC): Estamos aqui com Valery Uvarov, somos do Projeto Camelot e estamos muito satisfeitos de estar aqui, em São Petersburgo, na Rússia, e como você diz em russo: Sankt-..?

Valery Uvarov (VU): Sankt-Peterbourg [sorri].
KC: Sankt-Peterbourg, OK! É uma cidade linda, adorável, e você é um homem muito interessante, estamos muito, muito contentes por estar aqui e sermos bem recebidos em sua casa. Você foi um anfitrião muito gentil e muito obrigado por isso.

VU: Vocês são mais que bem-vindos, meus amigos!

KC: [Sorri] Obrigado! Então, nós queremos começar com o que quer que você se sinta confortável, o que quer que você gostaria de nos dizer sobre si mesmo. Para começar, estaríamos curiosos a respeito de sua história, como você chegou aonde estás hoje. Sabemos que você está trabalhando com o governo, isso é verdade?

[Slide]: Valery Uvarov, Chefe do Departamento de Pesquisa Ufológica, Paleociências e Paleotecnologia da Academia de Segurança Nacional da Rússia.
VU: Bom, sim. Mais ou menos. Tudo mudou na minha vida em 1989. Antes, eu era um músico profissional, estudava matemática e também estudava artes, eu sou um pintor. Naquela época, quando percebi, de repente, que a música que eu toco, toda a vida que vivia… era um pouco diferente de algo que acontecia na realidade ao meu redor. Eu apenas entendi que a nossa civilização, nosso planeta tem uma certa… ou tipo de problemas e foi uma escolha para mim, se eu continuasse tocando música como fazia antes, ou se faria a minha parte na solução dos problemas que via em volta de mim, nesta vida. Então, tomei uma decisão.

Em 1989 eu visitei a conferência de OVNI aqui na Rússia. Eu conheci muitas pessoas muito interessantes [inaudível] lá. Eu tenho muitas histórias muito interessantes. Algo apenas mudou em mim, tudo foi virado de cabeça para baixo, e decidi: eu largo a música, eu deixo tudo na minha vida, e eu decidi estar totalmente dedicado à investigação de OVNIs, a história real do nosso planeta e da nossa civilização, tentando tomar parte em fazer nesta vida, a nossa civilização ser melhor do que foi antes. Então…

KC: Foi isso… você foi convidado a ir a esta conferência de OVNI porque você poderia ter tido um encontro com os visitantes, se você os quiser chamar assim, antes disso? Conscientemente? Ou foi inconscientemente que fostes conduzido à conferência, mas você não estava certo, por quê?

VU: Na minha infância, eu encontrei alguém… mas naquela época eu não percebi o que aconteceu. Para mim foi uma coisa… bom, talvez, normal, estranha, mas normal. Então, comecei a ter visões estranhas, o Universo, naves espaciais voando e outras coisas. Eu fiquei vidrado em quaisquer filmes, quaisquer livros sobre, sabem, extraterrestres e fantasias. Provavelmente, estivesse sempre dentro de mim. Mas no ano de 1989, foi como uma deformação e uma transformação, de repente, compreendi, compreendi claramente, que este novo caminho era o caminho real para mim.

KC: Quantos anos você tinha nessa época, você se lembra? Aproximadamente?

VU: Bom, aproximadamente? [Sorri] Tinha 36 anos, tudo foi mudado e, eu lhe digo, eu estou feliz por isso. Realmente, agora, eu sou um homem de muita sorte, eu faço o que amo fazer e fiz algumas descobertas muito importantes, e espero, e estou muito certo – vamos falar sobre isso hoje, – e vou compartilhar algumas idéias muito interessantes.

KC: E você também escreveu alguns livros?

VU: Certamente, escrivi alguns livros, alguns artigos. Além disso, publico na revista Nexus aqui, na língua russa, sou o editor principal.

KC: Muito bem. E, originalmente, vimos você como associado, sendo entrevistado, fazendo parte do Espaço Secreto, foi no vídeo de Chris Everard sobre o programa espacial, você também tem conhecimento sobre isso. Isto é verdade?

VU: Sim, isso é verdade.

KC: E você também tem formação em matemática, você pode nos dizer, o que isso significa?

VU: Sim, é um Instituto Técnico Público em São Petersburgo, onde eu estudei.

KC: Entendo, isso é um diploma que você tem, ou são alguns anos de estudo?

VU: Não, foi apenas alguns anos de estudo, alguns anos, e, então, quando isso aconteceu e eu neguei tudo e só estava concentrado, totalmente focado na investigação, por isso eu deixei tudo e passei a fazer o que eu tinha começado a fazer. Mas, ao mesmo tempo, sendo um profissional da música, pintor e, por um lado, matemático, foi muito mais fácil para mim entender o que estava acontecendo, posso ver um evento, ou, digamos, um objeto,  vê-lo de diferentes pontos de vista: como um músico, um matemático… é muito mais fácil.

KC: Assim, você tem o lado artístico, você tem o lado científico…

VU: É.

KC: Isso é muito interessante e, então, você tem – o que você diria – quero dizer música e matemática – isto é muito parecido, certo?

VU: Por um lado, sim, de certa forma. Eu posso olhar para as coisas muito livremente. Não estou escondido numa caixa pequena da ciência. Um matemático pode olhar o mundo como matemático, OK? Eu – não. Estou tentando ver o evento de pontos de vista diferentes e é compreensível para mim. Especialmente agora, quando eu preciso ver algo escondido por trás… por exemplo, alguns eventos na história de nossa civilização, eu preciso abrir a mente e tentar entender o que estava por trás desse evento; então, eu preciso ter uma visão muito ampla e sendo músico, matemático e artista é muito muito útil.

KC: Agora, qual é o seu trabalho atual ou título dentro do OVNI, no governo, você tem um título?

VU: Bom, na verdade, aconteceu assim: as pessoas no governo e nas forças armadas que, por muitos anos, se envolveram na investigação de OVNIs, eles sabiam sobre mim e eles me convidaram para fazer parte das pesquisas dele.

KC: Entendo.

VU: Na verdade, foi assim. Eles convidaram-me e, por exemplo, hão algumas organizações cuja ajuda eu uso na investigação, estou falando abertamente: eu uso a ajuda delas quando preciso obter acesso ao banco de dados oculto, ou alguma informação que não se consegue encontrar em uma biblioteca, por este motivo sou parte da organização militar e sou capaz de conseguir acesso a qualquer coisa que preciso.

KC: Você já fez investigações sobre a pirâmide e também sobre a pirâmide de energia e talvez eles te dêem acesso às pirâmides ou esfinge?

VU: Sim, claro, mas por outro lado, estou interessado na ciência por trás da pirâmide, esta é a razão principal: ciência. Estou absolutamente certo de que aquelas pessoas que conhecemos, ou a quem chamamos Herophiles, egípcios antigos, na verdade, não egípcios – sacerdotes atlantes – foi pós-sacerdotes atlantes. Eles eram cientistas de um nível muito, muito alto, estou completamente certo disso e realmente estou profundamente interessado em saber o que eles encorporaram nas pirâmides, nos templos e em qualquer coisa que usaram. Primeiramente, para desenvolver as habilidades, as capacidades angelicais, que, mais tarde, ajudaram a abrir a supersensibilidade, por um lado, e, em seguida, clarividência, a maioria dessas habilidades que eles tinham e, sabem, eram habilidades muito incomuns, eles foram pessoas muito, muito poderosas.

Nós agora nos desenvolvemos de uma forma bem diferente, por isso o meu interesse mais profundo é descobrir até onde eles realmente chegaram, filtram e receberam. Bom, muito em breve… ao investigar textos antigos também cheguei à conclusão: todo o conhecimento que eles tinham, eles receberam como um presente de uma civilização extraterrestre muito, muito avançada. Quando entendi isso, eu disse: “Agora o que preciso fazer é tentar encontrar algum, mesmo que pequeno, fragmento desse conhecimento em qualquer lugar: numa parede de um templo, nas pirâmides, nos textos antigos, eu necessito descobrí-lo e trazê-lo aqui, para a minha mesa, para analisar e desvendar todo esse conhecimento”.

KC: Então, você começou esta missão, eu suponho, após esta experiência com esta percepção que você teve em 1989, agora estamos em 2007, certo? Portanto, em todos esses anos, vens trabalhado há muito tempo e escrevestes livros sobre as pirâmides e estás construindo uma pirâmide, se entendi certo. Isso está correto?

VU: Sim. Agora estamos construindo uma pirâmide de pedra grande de acordo com esse conhecimento que adquiri investigando as pirâmides antigas de diferentes civilizações.

KC: Qual é esse conhecimento? você pode me contar algumas das coisas importantes que… Você estava construindo, na verdade você disse, mais do que uma pirâmide aqui, na Rússia, não muito longe daqui.

VU: Sim. Está a apenas 100 km de São Petersburgo. Nós encontramos um lugar muito antigo onde as pessoas costumavam fazer algo como “rituais”, por algumas centenas de anos. Houve um terremoto, com uma rachadura, com um raio de energia saindo do chão… Então, na verdade, eu fiz tudo de acordo com o antigo conhecimento de como devia ser feito. Assim, encontramos o lugar certo, na verdade, são três lugares muito bons. Agora estamos cosntruindo uma pirâmide num desses lugares.

KC: Entendo. Assim, é um vórtice de energia o que você encontrou…

VU: Sim, é um vórtice de energia muito forte, é um momento importante, devemos fazê-lo. Mas, ao mesmo tempo, cheguei à conclusão clara de que o que realmente sabemos, quero dizer o que a nossa civilização sabe sobre as pirâmides e os efeitos delas, é quase nada da realidade, em comparação com a realidade. Esta é a razão por decidirmos construir uma pirâmide de acordo com o conhecimento, não com a forma de pirâmide, ou algumas proporções, que, na verdade, nós encontramos ao investigar diferentes pirâmides. Não, essa é a parte muito pequena da informação. Não, não é suficiente, deve haver muito mais. Em primeiro lugar, quando os antigos sacerdotes estavam construindo as pirâmides, eles estavam fazendo isso, tentando sintonizar com uma determinada pessoa, por exemplo, um faraó ou um padre.

A pirâmide de Quéops é um instrumento bem diferente e eu estava sempre interessado nesse conhecimento, o que faz da pirâmide um instrumento poderoso que não só poderia influenciar o seu sistema energético, desenvolver suas habilidades. Em princípio, como ter acesso – agora escute com muita atenção – as dimensões paralelas da Terra e do Tempo, é algo importante, porque aí se pode encontrar informações sobre a história do Planeta Terra e não só sobre o tempo antigo, mas,  também sobre o nosso futuro. Assim, se pode obter algo que não se pode sequer imaginar. Este é o assunto de que trato no livro que escrevi e publiquei aqui, na Rússia.

O nome do livro é “As Pirâmides”. É este. [Ele pega o livro] Acho que também vai ser da mesma cor no idioma inglês. Acho que o livro será publicado no idioma inglês em breve. Nele se pode ver a tradução dos textos antigos, se entenderá completamente os interesses dos antigos sacerdotes. Por que eles passaram tantos anos e também gastaram muito, sabem, dinheiro, só para construir uma pirâmide enorme, por quê? Apenas como um lugar para enterrar um faraó? Não, não, é para fins muito diferentes e nós decidimos ter as mesmas possibilidades agora na construção de pirâmides. Então, nós encontramos o lugar, nós encontramos o conhecimento. Dentro desta nova pirâmide que estamos construindo agora haverão 25 ressonadores, salas ressonadoras. Na pirâmide de Quéops, sabem, hão pelo menos 3, OK? 3 salas. Na nossa pirâmide haverão 25…

KC: Entendo. Mas você está falando também em usar os cristais, o poder dos cristais.

VU: Vamos construir nela fontes de energia, não apenas cristais, mas, as fontes de energia, porque se se apenas constói uma pirâmide sem uma fonte de energia, nunca se vai conseguir o que se imaginou, pelo menos, conseguir.

KC: O vórtice, não é esta a fonte de energia, a principal…? Não?

VU: Não, não, é como o gás, OK? É como o gás. Mas, para se obter a energia disso, se precisa de um motor. Então, o que chamo de “fonte de energia”, é um dispositivo, é um determinado dispositivo que se coloca dentro da pirâmide, num determinado lugar, e a pirâmide irá afetar o espaço e o tempo, fazendo uma espécie de queima de espaço e aí começa algo muito, muito interessante e incomum. Então, chegamos a esse entendimento e imediatamente decidimos iniciar a construção da pirâmide e nós começamos a fazer isso, no final do ano passado, e acho que no final do mês de outubro de 2007, vamos concluir a construção.

KC: Então, você já compartilhou seus conhecimentos com outros países, ou isso é apenas na Rússia?

VU: Na verdade, é apenas na Rússia.

KC: Porque isso seria muito interessante, tenho certeza, para a maioria – bom, certamente, para pesquisadores norte-americanos – assim como, outros países.

VU: Eu amo alguns pesquisadores americanos, como por exemplo, Graham Hancock [mais dois nomes: Nevil Burrell? Jill Burton? Inaudíveis] e outros, muitos outros. Eu os amo muito, eles me influenciaram profundamente, sabem. Eu quero dizer obrigado a eles por tudo que eles fizeram e, sabem… Ao mesmo tempo, eles trouxeram à luz, para as pessoas algumas idéias muito incomuns, dizendo: “Ouçam, basta estudar atentamente as pirâmides”, ou “Estudem atentamente…” algumas outras coisas. Eles apenas apontaram que havia algo incomum, mas, principalmente, eles não estavam dando respostas.

KC: Tudo bem, OK.

VU: O que estou fazendo, eu estou tentando dar respostas… Mais ou menos. Tenho a sorte de encontrar respostas e o livro “As Pirâmides” é o livro dando as respostas.

KC: Agora, você mencionou durante a nossa refeição maravilhosa e curta que tivemos, que você teve algum tipo de interação com os visitantes. Eles meio que te guiaram no caminho que você está agora, isso está certo?

VU: Sim.

KC: Eles te deram algumas dicas sobre onde você devia ir com isso.

VU: Sim. De certa forma, sim.

KC: E você os chama… Como você os chama?
VU: Eu os chamaria de “visitantes”. Ou dizer “extraterrestres”, dessa forma, se pode chamá-los de extraterrestres, mas, por outro lado, quando se começa a entender como realmente este espaço é construído, se chega ao entendimento de que o lugar mais distante em nossa galáxia está a menos de 1 minuto da Terra. Significa que, também, de acordo com o que sabemos sobre o nosso Planeta e em comparação com o período que a nossa civilização está aqui neste planeta, essas pessoas, as pessoas humanas são visitantes. Elas estão a tanto, tanto tempo, a tantos milhares de anos aqui, controlando a situação. Eu diria que eles estão unidos àquelas pessoas que estão tentando manter a situação no Planeta no caminho certo. Assim, quando encontrei esses visitantes em minha vida, pela primeira vez, foi a muito tempo atrás, eu estava em uma expedição, a minha primeira pergunta foi simplesmente: “Bom, o que você está fazendo aqui?” Naquele momento, como qualquer cidadão normal, pessoas normais, mesmo um norte-americano, apenas tentando fazer idéia das habilidades deles. Eles estão voando, eles têm possibilidades tão incomum… bom, o que eles estão fazendo aqui? Qual é o interesse deles? A resposta deles foi muito simples e, ao mesmo tempo, esta resposta acabou por transformar a minha vida.

Um dos que eu vi, disse: “Se você quer entender os nossos interesses, você deve aprender a história de sua civilização, sua pré-história. Então você vai entender os nossos interesses”. A partir desse momento, comecei a fazer a minha melhor investigação da história da nossa civilização e agora posso te dizer, eu vim a entender o que aconteceu e qual é o principal interesse deles.

KC: OK, qual é o principal interesse deles, você acha… é o futuro e os eventos futuros que eles sentem que ocorrerão, ou isso é um interesse genético na nossa espécie…?
VU: Não, não. Primeiramente, eu gostaria de explicar-lhe que, se você deseja obter apenas uma resposta, você nunca vai ter a resposta certa. É, por um lado, bastante complicado. Então, se se, pelo menos, preferir dar um pequeno passo a frente para compreender, o que recomendo é apenas considerar, se se puder, e entender que não há passado nem futuro, só há presente. Agora, o que está acontecendo agora.

Para mim, no início, isso era nada, pensei: “O que isso significa – sem passado – não há futuro? Tudo está acontecendo no agora?” Eu tive que investigar e estar dentro desta proposição por um tempo muito longo. Então, quando entendi como isso funciona e é realmente assim; então, se começa a compreender, profundamente, que se se planeja, se se quiser mudar o Planeta, a Humanidade, sabem, realmente, alguma coisa para melhor, desenvolvê-lo no caminho certo, se precisa saber o que aconteceu e, ao mesmo tempo, se precisa saber o que vai acontecer a nós no futuro.

Mas, logo que este futuro… para nós, na verdade, já está acontecendo agora. Assim, do futuro, se pode ir e entrar em contato com o passado apenas para ajudar a si mesmo a mudar algo na vida, no passado, para melhor. Então, se algo acontecer diferente, o presente vai ser mudado e o futuro vai ser mudado para melhor. É apenas um caminho. Então, o que eles estão fazendo aqui é tentar manter e, de alguma forma, controlar estes eventos de múltiplas dimensões da nossa vida, para que possamos entender como tudo isso é construído. Eles nunca interferem, eles só podem dar apenas uma idéia pequena, minúscula. Portanto, apenas uma sugestão. Então, se se é a pessoa certa, se vai compreender. O que se fizer em seguida, será a responsabilidade pessoal para o futuro. Não é como alguns professores ou pessoas que dizem: “Bom, os extraterrestres e os deuses, eles são tão perfeitos, eles vão me controlar. Mesmo se eu cometer um erro, eles vão me ajudar a corrigir o meu erro, então…”

Não, na realidade, não é assim. O que eles podem fazer é apenas dar-lhe algumas sugestões e, então, você toma sua responsabilidade pessoal.

KC: Então, você já estudou filosofia oriental, Iluminismo e tem conhecimento dos chakras e etcetera.

VU: Claro, eu fiz isso tudo. Mas, alguns anos depois, cheguei a uma compreensão clara de que se se começar, ou se se tentar ver o que está por trás deste conhecimento, usando o conhecimento, por exemplo, do budismo ou hinduísmo, nunca se vai conseguir a realidade, é impossível. Porque no modo, na forma que se pode usar e entender esse conhecimento ficou (eu costumo dizer, vivo) só no Egito, só no Egito. No meu livro, estou mostrando esses textos. Se se pegar a tradição hinduísta ou oriental, está tão deformada; está tão alterada em diferentes partes e pedaços, que nunca se vai conseguir a compreensão da realidade. Esta foi a razão pela qual mergulhei profundamente, direi, em egiptologia, trabalhando com textos, porque lá se pode ver o início de toda a história.

Neste livro, por exemplo, eu também apresentei esse conhecimento muito, muito antigo, que foi nomeado, ou chamado, nos tempos antigos de Cabala-Ohn. Este é o conhecimento de uma Unidade de construção do humano e do Universo; como foi construído, na verdade é uma e a mesma coisa. Então, se se quiser compreendê-lo, se deve começar do início e este princípio, início não deformado, se pode encontrar somente no Egito e em nenhum outro lugar.

KC: Agora, quando você disse que foi contatado durante uma expedição, você estava no Egito nessa época?

VU: Não, na Sibéria.

KC: Sibéria?

VU: Sim, foi uma expedição ligada à minha investigação do caso de Tunguska.

KC: Ah! Agora, nós queremos ouvir sobre isso. Tunguska. Porque você acabou de escrever um novo livro sobre isso, não é mesmo?

VU: Na verdade, eu vou terminá-lo, o livro inteiro será dedicado ao aniversário de cem anos, no próximo ano, (ao caso de Tunguska). Este livro vai dar a idéia do que aconteceu lá, na verdade, se vai obter respostas… Sabem, nos últimos 70 anos de investigação, os cientistas, pelo menos, obtiveram e trouxeram, para o publico, cerca de 300 hipóteses diferentes e, a maioria delas, são tão diferentes, as pessoas não podem entendê-las. Neste livro, esclareço tudo e dou-lhe… descrevo o evento como um todo, de modo que todas essas hipóteses diferentes estão se unindo numa.

KC: Entendo. Nos reunimos com um cientista e Bill, talvez você poderia explicar o ponto de vista dele? Ontem, Chernobrov…

Bill Ryan (BR): Sim, nos encontramos com Chernobrov e lhe perguntamos sobre Tunguska, ele disse que houve um evento semelhante, que aconteceu perto do Lago Baikal, bem recentemente.

VU: É.

BR: Ele considerou que os vestígios de radioatividade que foram detectados na região de Tunguska, poderiam ser explicados por isto ser o impacto de um cometa e ele contou que alguns dos isótopos radioativos que foram descobertos lá realmente estão presentes em cometas. Ele ponderou que o incidente Baikal sugeriu que isso era uma hipótese razoável. Ele tem sido muito cuidadoso em não apresentar conclusões sobre isso, mas foi isso o que ele concluiu, o que era o melhor palpite dele. Você é bem-vindo para…

VU: Sim, eu sei disso.

KC: Então, será que ele concorda, ou concordas ou não com ele, ou o seu entendimento é diferente?

VU: Para dizer: “concordo” ou “não concordo”, não lhe daria a abordagem certa, minha abordagem. Na verdade, trabalhando… Estou tentando encontrar uma resposta, do que aconteceu em Tunguska. Eu aprendi muito sobre materiais, muitos dos resultados da investigação de diferentes cientistas, e sou muito grato a eles por isso, eles me deram muitas informações. Eu nunca faria isso sozinho. Ao mesmo tempo, quando vim a compreender o que aconteceu lá e o que é de fundamental importância, é o que as pessoas têm descrito e explicado do que aconteceu em Tunguska; quero dizer, este evento, eles obtiveram essa resposta alguns poucos anos depois deste evento, na verdade, a deram quase que imediatamente. O problema é que quando os cientistas, que representam diferentes campos da ciência, vieram a Tunguska e começaram a perguntar o que as testemunhas viram, eles naturalmente apenas consideraram a história toda, mas de partes pequenas.

Porque, essas pessoas que tiveram educação botânica, elas tentaram explicar o evento desse ponto de vista; os astrônomos, eles tentaram explicar o evento como um cometa ou meteorito; os geólogos, eles dão a própria versão deles. Então, eles despedaçaram toda a história em mais de 300 pedaços pequenos. Mas ao mesmo tempo, se deve compreender, porque esse evento foi o evento. E só há uma verdade que está por trás dele e, realmente, se perguntas a si mesmo, se concordaria que alguma coisa – bom, por um lado – muito simples ocorreu, que não podemos ver – porque todos os traços estão lá fora, na área de Tunguska, está tudo lá – e se não vemos estes traços, isso não significa que alguma coisa a mais aconteceu ali.

A história completa, a explicação completa, por um lado, está fora até mesmo da possibilidade das pessoas humanas aceitarem… A realidade.

O que eu diria de início, em resumo, é que foi meteorito, sim, foi um meteorito. Mas este meteorito carregava um bactéria perigosa. Alguém o acertou, o destruiu e eles fizeram isso muitas e muitas vezes. E o fizeramm por séculos, em alguns casos. Quando eu estava estudando os documentos, encontrei histórias muito interessantes. Ouçam, resumidamente: quando Stalin soube sobre o caso de Tunguska e, especialmente, Lavrentiy Beria – ele é um homem muito, muito especial que foi colocado na investigação e influenciação do desenvolvimento de armas nucleares na Rússia naquela época. Ele obteve informações sobre um evento incomum, parecendo uma explosão nuclear que ocorreu, em 1908. Então, após investigarem as fotos, eles enviaram uma expedição, uma expedição militar a essa área. Essa expedição militar estava em trajes civis, eles tinham apenas uma tarefa: obter informações e observar. Quando eles questionavam algumas pessoas na área da explosão, as pessoas diziam: logo após a explosão, os povos indígenas locais viram um grupo de estranhos visitantes, usando equipamentos altamente desenvolvidos, em 1908, investigando os solos.

Então, eles os viram. Diga-me quem eram eles? Pessoas altamente equipadas em 1908? Quem eram eles? Foi apenas um começo curto, mas, ao mesmo tempo, posso te dizer, a realidade é incrível, incrível! Há alguém que está preservando o planeta Terra, por causa deste meteorito tendo bactérias perigosas. Alguém criou, construiu, o que eu defino como “uma instalação”. Parte desta instalação está na Sibéria e está ativa. Por outro lado, e eu sinto muito sobre isso… Um dos… dispositivos, tendo estreita ligação com esta instalação, está situado na China e a China já o encontrou e eles estão investigando isso.

KC: Você está dizendo, que eles têm algo, que contém esta bactéria?

VU: Não. Eles estão investigando uma parte do equipamento que estava derrubando meteoritos. Isso é sério.

KC: Este é um equipamento do visitante, não é?

VU: Sim. Eu sei que certamente eles já o encontraram e o investigaram. Num futuro próximo, se vai estar testemunhando um salto no desenvolvimento de algumas tecnologias na China, muito, muito mais avançada, do que você possa imaginar.

KC: Muito interessante!

VU: Infelizmente, eles fazem essa investigação na Rússia? Não, eles ainda não fazem.

KC: Como você descobriu isso; então, podes nos dizer?

VU: Não, se me permitem, não vou dizê-lo, OK?

KC: Ah, OK, muito interessante [ri]

VU: [Sorrindo], mas acredite me, eles já fazem isso. Temos muito desse material, sobre a Sibéria, um monte. Eu diria que milhares de toneladas desses materiais. Mas, sabem, nossa ciência e… os representantes da nossa ciência de hoje, eles não estão interessados.

KC: Entendo, realmente?

VU: Não.

KC: Bom, quando o livro será publicado, ainda não foi publicado aqui, não é mesmo?

VU: Você quer dizer, sobre o caso de Tunguska?

KC: É.

VU: Será lançado no próximo ano.

KC: OK. Assim, uma vez que o seu livro seja divulgado, talvez, isso mudasse?

VU: Eu não tenho certeza sobre isso.

KC: Não?

VU: Não. Esta é a razão pela qual o que planejo… quero organizar uma expedição, uma ou duas expedições, expedições internacionais.

KC: Fabuloso!

VU: Algumas pessoas da América, Rússia, Alemanha, Austrália mudaram para lá, tal que, quando isso acontecer, deve estar sob um controle razoável da Humanidade.

KC: Entendo.

VU: Porgque há, agora, neste momento particular, apenas acredite em mim, não se tem nada para fazer, basta acreditar em mim! A tecnologia existe, nesse exato momento, está tão desenvolvida, que nem mesmo se pode imaginar.

KC: OK. Agora, mudando de assunto, porque você também disse, durante a nossa conversa no jantar, que haviam 3 eventos que foram, acho que meteoros, que atingiram o planeta, em diferentes períodos de tempo na história e mudaram o nosso Planeta. Você pode nos contar um pouco disso? Então você disse: Tunguska foi um evento pequeno em relação a esses eventos maiores.

VU: Claro, claro, claro. Sabem, se se apenas ler materiais dados ao público por astrônomos sobre asteróides… o sistema de defesa, que, na verdade, os americanos estão construíndo, se vai ter a idéia de que, por exemplo, os asteróides grandes, talvez de 1 km de diâmetro, atigem o Planeta Terra, talvez, uma vez a cada 300 mil anos, ou talvez, mesmo em um milhão de anos. Quando estava investigando os textos antigos, eu cheguei a não só conpreender – em meu livro “As Pirâmides”, eu transcrevo os textos antigos, tudo, traduzido, tudo está ali, os asteróides com diâmetro de mais de 1 km atingiram o planeta, pelo menos, 2 vezes nos últimos 16.000 anos. Na verdade, 3 vezes, mas os dois primeiros, especialmente, aqueles que chamo de Açores, que atingiram o Planeta na área do Arquipélago dos Açores. Aconteceu exatamente a 13.660 anos atrás, em pleno outono. No livro, estou dando os cálculos exatos e os calendários antigos, mostrando a data exata em que isso ocorreu.

KC: Bom, você está dizendo que isso pode ser um evento cíclico?

VU: É. Este é… você acertou, minha amiga! Muito bem!

KC: [Ri]

VU: Essa é a idéia mais importante, que esses calendários antigos: os calendários maias e alguns dos antigos calendários egípcios, que chamo de “Calendários Catastróficos”, eles estão dando informações sobre os períodos em que os asteróides ENORMES atingem o Planeta Terra. Essas Herophiles antigas, estavam tentando trazer, ou dar, ou deixar para os posteriores, o futuro, para as pessoas, informações que, em certo momento, um asteróide cairá sobre o Planeta, se deve estar preparado para isso! Caso contrário, as pessoas podem ser, sabem… mortas.

KC: Então, especulando sobre isso, podemos dizer que há um outro evento agendado, em algum momento no nosso futuro, em que isso pode ocorrer novamente.

VU: Eu diria, que é o evento mais interessante e incomum que está à nossa frente e muito perto, muito, muito perto de nós.

KC: Você está falando do Calendário Maia de 2012… Por volta dessa época?

VU: Certo, sim.

KC: É nisso que você acredita, não sei se você estudou o trabalho de Zecharia Sitchin?

VU: Sim, conheço o trabalho dele muito, muito bem.

KC: Você está falando sobre o retorno do Planeta X, ou você está falando da Anã Marrom, que está sendo discutida pelos cientistas, porque temos alguns contatos que falam sobre o que eles chamam de uma Anã Marrom, com um planeta que a acompanha em uma órbita circular, esta órbita sendo muito alongada, 26.000… Não é isto o que você está falando?

VU: Conheço essa teoria, muito, muito bem, mas a realidade é bem diferente.

KC: OK.

VU: Novamente, mesmo… Agora, neste momento, eu gostaria de repetir novamente: com o que estou trabalhando, são os textos antigos, que se pode manusear, ler e interpretar. Estes textos antigos dizem que a 13.660 anos atrás, quando o asteróide Açores chocou-se com o Planeta Terra, o Planeta Terra perdeu a órbita e começou a se distanciar do Sol. Alguém, a quem chamamos – agora – de curadores, alguém – participou grandemente da destruição do planeta Maldek, sobrando esta parte enorme do planeta que agora chamamos de Lua. Esses textos antigos, textos egípcios, dá-lhe a descrição exata de que alguém trouxe esta grande parte, este pedaço, para o campo magnético do Planeta Terra, aumentou a massa do planeta Terra e fixou o planeta onde está agora. Antes, o planeta Terra se movia em torno do Sol com um período de 360 ??dias. Quando a Terra se afastou do Sol e foi fixada com a ajuda da Lua, passamos a ter 365 dias.

Assim, logo após isso, eles criaram Vênus e colococaran Vênus onde está agora. Textos antigos e até mesmo o calendário maia diz que Vênus foi criado em 3.113 anos antes de Cristo. OK? Mas o que aconteceu também… aqueles que viviam em Marte… um texto antigo diz exatamente, aqueles que deram o conhecimento a civilização anterior, eles eram de Marte e Maldek. Mas agora se vê, esses planetas são… Maldek foi destruído, temos um cinturão de asteróides, nenhum planeta. Marte foi atacado por asteróides, perdeu a atmosfera, afastou-se do lugar original, mas alguém, também, reparou a posição dele.

Mas aqueles que viveram nesses planetas se mudaram para um outro planeta do sistema solar. Eu não sei como, mas a idéia de que este planeta agora, está na mesma órbita que a Terra, mas bem atrás do Sol. Bem oposto, estamos nos movendo com a mesma velocidade que esse planeta e esta é a razão pela qual não podemos, na maioria das vezes, vê-lo; mas, ao mesmo tempo, hão períodos em que podemos ver este planeta. Astrônomos viram e registraram este planeta. No meu livro,  estou dando, sabem, a descrição completa destes eventos.

KC: Você está dizendo que essas pessoas… você os chama de Annunaki, ou não?

VU: É! Não importa como você os chame, não importa.

KC: Mas o povo… é a mesma referência que alguns pesquisadores estão utilizando para este grupo de pessoas que realmente vieram para a Terra originalmente e fizeram engenharia genética na nossa espécie? É isso…

VU: Eu não diria geneticamente… Não, foi um pouco diferente. Efeitos genéticos ocorreram no Planeta Terra num tempo muito, muito tempo atrás. Muito longe … Quero dizer, este evento é muito diferente. Então, a idéia principal é que em 2012 estaremos prestes a testemunhar, eu diria, a estabilidade do sistema Solar.

KC: Aha, causando por asteróides…

VU: Não, não. Vai ser em conexão com uma atividade incomum do sol.

KC: Do sol?

VU: Sim. Uma atividade incomum do Sol, por um lado, irá afetar a instabilidade do Planeta por trás da Terra… por trás do Sol, desculpe. Atrás do Sol, essa é a primeira coisa. Mas, por outro lado, há um outro momento muito, muito importante. Se se se lembrar dos textos maias antigos, se vai ter alguma idéia interessante. Este texto diz: os professores Estelares antigos vão embora e novos virão. Nós, quero dizer, as pessoas com quem estou trabalhando, descobrimos e compreendemos o mecanismo que está por trás disto. Para entender isso, preciso dar uma idéia de um certo mecanismo energético do Planeta Terra que está intimamente ligado com o tempo e o espaço.

[Mostra o gráfico no computador] Isso, o que você pode ver agora aqui, este é o eixo geográfico, OK? Este é o eixo magnético. Então, quando ele começa a girar, forma algo assim. Assim, o ponto central está aqui, vêem? Esta é a latitude de 30 e 35 graus. Isto é exatamente onde todas as civilizações do mundo antigo se desenvolveram. China, Egito, Maia – todas estao aqui.

Então, agora olhem: investigando materiais científicos, chegamos a conclusão de que esta parte, quando fica muito mais ampla, ou de modo diferente, este pulso aqui e aqui tem um período de quatro anos, um período de quatro anos… Mas agora, algo incomum começou a acontecer. Esta parte começou a ficar mais e mais ampla, e esse ponto focal começou a se mover para norte. Em 2012 este ponto focal se moverá para o Pólo Norte e um campo de espaço e tempo estará aberto.

Isto é… Aqui, vamos testemunhar a aparição de um Stargate (Potal Interestelar). Através do Stargate, os ex-professores irão embora e os novos virão. E tudo, todos estes eventos estarão estreitamente relacionados com a atividade do Sol e a aparente instabilidade do planeta atrás do Sol. Então, não estamos apenas prestes a ver este planeta, e isso significa que vamos estar muito perto de iniciar um contato razoável, compreensível com os nossos antecessores.

KC: Então, você está dizendo também que o movimento de, se eu entendi corretamente, nosso sistema solar aproximasse do centro do plano galático, você vê alguma coisa nessa influência?

VU: O que você quer dizer, quando o sistema solar passar através do Plano Galático, este é o momento em que passamos por um fluxo de meteoritos e de asteróides. É por isso que periodicamente nos movemos através disso e temos esses impactos por asteróides. Mas, do que estou falando agora, é um período muito diferente e um período muito incomum.

KC: Você está dizendo que nós estamos nos movendo para uma dimensão diferente, ou…

VU: Não nós. Nós estaremos aqui. Estamos aqui e vamos ficar aqui, onde estamos agora. Mas aqueles que estavam controlando o sistema Solar, quero dizer, os Tutores, seremos testemunhas de como eles partirão. Alguém vai embora e os novos virão.

KC: Entendo. Mas, com quem você está trabalhando? Você pode me falar de sua equipe, são cientistas, filósofos…

VU: Tudo isso, mas principalmente cientistas.

KC: Então, hão bases científicas para esse entendimento?

VU: Sim. O que estou lhes dando agora, de uma forma simples, é ciência pura.

KC: OK, entendo. Assim, o stargate que está se abrindo, estavas dizendo que isso é no Pólo Norte?

VU: Sim, no Pólo Norte.

KC: Que tipo de preparação estás fazendo, isso é parte da razão pela qual estás construindo as pirâmides? Para trazer a energia? Para ajudar a Terra…

VU: Por um lado, sim. Sim. O que eu diria, em princípio, que o que acontecerá no Planeta Terra irá afetar criticamente a saúde humana.

Aqueles que agora não têm boa saúde, eles vão estar morrendo de ataques cardíacos, sabem, problemas com os vasos sanguíneos… Chegamos ao entendimento de que é um momento importante, aquelas pessoas que estão desenvolvendo habilidades interiores, energéticas, clarividência, algo assim; ou seja, se eles estão fazendo isso sem o conhecimento que foi deixado para trás pelos antigos sacerdotes, 70% deles, ou mesmo 80% deles estão morrendo de câncer. O que isso significa e como isso acontece… Uma resposta está no campo que agora podemos tentar explicar.

Veja, quando alguém começa a meditar, tentando obter uma energia cósmica, OK? Imagine que a energia está entrando em você, e isso acontece, tudo bem. Quando se é um portador desta energia, o tempo biológico interno está desacelerando. Por um lado, está tudo bem. Porque se sentirá dentro de muito mais energia, a clarividência será aberta… Isto é o que precisamos, mas quando o telefone começou a tocar, ou se precisa voltar para casa, para fazer o que se deve fazer para a família, apenas se desligou deste vórtice de energia. O sistema imunológico fez… isso… Uh, o novo sistema tenta voltar à posição normal, OK? Acelerando… o tempo interior. Porque se havia reduziu a velocidade dele. O sistema imunológico, imediatamente, começa a acelerar. A aceleração do tempo interno causa, imediatamente, o início do câncer. Esta é a razão porque os professores conhecidos no mundo como Jidda Krishnamurthy, Ramana Maharishi, Vivi Kananda, Shiva Rabinda, Mira Alfas, a mãe, na verdade, Madame Blavatskaya, Rerich, Castaneda, Osho… todos eles morreram de câncer.

Nós encontramos este aviso deixado por antigos sacerdotes. Este aviso diz que se se desenvolver as habilidades sem o conhecimento de como deve ser feito, nunca se vai atravessar a fronteira da morte, se vai morrer. Então, nós encontramos estes textos, entendemos o significado.

Inicialmente, começamos a investigar e desenvolver o sistema de defesa, para mim, para os especialistas e cientistas com quem estou trabalhando. Este é a razão principal. E, na verdade, esta é a razão pela qual, eu diria, as pessoas no futuro próximo, quando 2012 estiver muito perto, se deve levar em conta que se deve aperfeiçoar, se deve desenvolver a saúde. Caso contrário, milhares de pessoas, talvez centenas de milhares, talvez milhões, não vão sobreviver a todas essas mudanças.

E, um dos instrumentos que os antigos utilizavam para isso, quero dizer, para preservar-se contra o câncer, para ultrapassar a fronteira da morte: foram as pirâmides e as chamadas varinhas de Horus. Então, sabem, metal, eu diria, tubos, sabem, que quaisquer um dos antigos faraós egípcios, conheço esculturas de faraós e sacerdotes, eles as têm nas mãos. Eu escrevi um livro sobre isso que é chamado de As Varinhas de Horus, dando os textos antigos, as explicações e as idéias do que está por trás disto. Eu compreendi profundamente que isto é algo importante e agora estamos a desenvolvê-lo, e esta é uma das razões pela qual estamos criando a pirâmide grande de pedra, para nos preparar, para preparar a nossa saúde antes deste evento muito importante. Devemos estar preparados, caso contrário…

KC: Bom, isso também não é… em primeiro lugar, a pirâmide é considerada uma ascensão, uma máquina para a ascensão e, em certo sentido, o que você está falando, é dessa capacidade do corpo para ascender espiritualmente através da utilização deste meio?

VU: Não, eu não diria isso. Tudo é muito mais simples. Quando você toma… quando se está falando sobre ascensão, na realidade é diferente. Não, muito mais simples. O que se precisa fazer, é corrigir dois fluxos de tempo que, na verdade, chamamos de EEN – YAN, BAH – KAH, pensamos que… todo mundo acha que, segundo a tradição oriental, é como um princípio humano, quero dizer, o começo do masculino, o início do feminino, ou algo assim, e devemos equilibrar estes poderes e depois, bom, tudo vai ficar bem, sem doenças. Por um lado, isso é mais ou menos verdade. Mas, a realidade é bem diferente. Este EEN – YAN são dois fluxos de tempo, movendo-se um para o outro. Então, se esses fluxos de tempo estão equilibrados dentro de você, se tem um efeito muito interessante, se cancela o tempo biológico. Então se pode viver 100 anos, 200 anos, 500 anos, 1.000 anos, – sem problema. Mas devem estar equilibrados. O tempo. A pirâmide corrige o tempo, o tempo biológico no ser humano.

KC: Mas isso é um triângulo, o ponto alto do triângulo simboliza essa unidade.

VU: Isso significa que se está falando apenas de simbolismos. Estou falando de mecanismos, que é uma coisa diferente. Claro, o ser humano é uma coisa, a energia é outra coisa e a terceira coisa é um ser humano BAH-KAH. A trindade. É como um positivo-negativo em eletricidade. Se se usar mais e menos, a interação entre isso começa imediatamente. Três. OK? É um princípio. Então, esse triângulo nada mais é do que, bom, o símbolo do princípio. Mas, estamos falando de um mecanismo. Como usar – não um símbolo, o símbolo se pode colocar aqui [apontando para a camisa dele] e se pode andar por aí. Ao mesmo tempo, se se tiver um símbolo aqui, isso não significa que o tempo interno está equilibrado; não, definitivamente não. Precisamos equilibrá-lo.

KC: Qual é o seu plano, para entrar na pirâmide? Usar a pirâmide para ajudar a equilibrar isso?

VU: Não é apenas ir lá e equilibrá-lo. Por um lado, sim. Por outro lado, é uma prática. Estamos desenvolvendo a prática. Com quanto, ou assim que lemos alguns textos antigos, chegamos a compreenção de como funciona. Imediatamente começamos, ou tentamos construir uma pirâmide e usá-la. Fizemos isso e vimos os resultados, resultados muito interessantes, e agora queremos desenvolvê-lo. Para desenvolvê-lo, precisamos de um instrumento verdadeiro, da pirâmide real.

Não como, sabem, por exemplo, as feitas agora na Rússia por Aleksander Golod. Algumas pirâmides  como essas, são feitas de madeira, sabem, com plástico… Não, devem ser pirâmides de ângulos especiais, feitas de quartzo branco, tendo um peso grande. Deve ser muito, muito grande, tal que a a  frequência dela seria menor e igual ou, de alguma forma, ressonante com a frequência no nível mais baixo do Planeta Terra, assim, estamos nos conectando a pulsação, a pulsação mais importante – as chamo de coração pulsante do Planeta Terra – as pirâmides. Então, quando elas começam a funcionar juntas, dentro deste campo, o ser humano, inacreditavelmente, apenas se  transforma. Por isso, precisamos fazer isso e, portanto, nós podemos construí-las. Caso contrário, estamos apenas divagando, só idéias…

KC: Então, se você construir estas pirâmides neste lugar… é sua sugestão que, eventualmente, mais pirâmides sejam construídas no Planeta?

VU: Isso seria ótimo. Pelo menos, vamos fazê-lo aqui, na Rússia, construir mais pirâmides. Agora, vamos preparar certa área, onde nós construiremos, pelo menos, 2 pirâmides, ou 3. E, ao mesmo tempo, estamos planejando a construção de um complexo de pirâmides, que terá 9 pirâmides. Um complexo de 9 pirâmides. Claro, se se construir alguns complexos por todo o mundo, como um antigo texto diz, capacitores energéticos do planeta, se afeta positivamente o crescimento da consciência humana, isso irá afetar, isso vai acontecer. É um momento importante, não se pode fazer isso de outra maneira. Assim, se se quiser desenvolver e estimular isso, as pirâmides são importantes. Mas, as pirâmides deve ser construídas em todo o Planeta.

KC: Então, o que achas das crianças índigo? Entrevistamos Boriska a alguns dias atrás, ele relembra… como você sabe, ele apareceu na revista Nexus e, sabes sobre o artigo que foi escrito sobre ele, ele tem lembrança da vida passada em Marte, ele falou sobre as guerras que aconteceram; e, em seguida, ele fala sobre a… Ele, basicamente, é uma criança com total recordação. Existe algo que sabes sobre essas crianças que estão nascendo agora? Entendes que, em certo sentido, elas já estão equilibrando estes elementos-chave positivos e negativos, tal que eles tlavez nem precisem, necessariamente, da pirâmide para chegar lá. Você entende o que estou dizendo? Você já pensou sobre isso?

VU: Sim, eu entendo claramente. Esta é a razão pela qual eu digo: pirâmides foram e serão os pontos-chave. E sobre as pessoas tendo essas habilidades? Na verdade, existem muito mais pessoas com essas habilidades do que se pode imaginar. Mas, infelizmente, a maioria delas não é capaz de desenvolver-se, alcançando um nível elevado. A pirâmide é um instrumento que lhes dará a possibilidade de ultrapassar a fronteira da morte. Tenho certeza que o desenvolvimento de habilidades internas, quer se seja uma criança Indigo ou não, esse desenvolvimento, com certeza, vai afetar o sistema biológico e causar problemas com a saúde, especialmente câncer. Para evitar isso, precisamos usar o conhecimento e os instrumentos, as ferramentas e as pirâmides são ferramentas extremamente necessárias.

KC: Eu entendo.

(Parte 2 continua aqui.)

http://projectavalon.net/lang/pt/valery_uvarov_part1_pt.html

log_pir_47

.

 Gostou? Então Curta nossa página no Facebook.

eu_47 Seja amigo do autor do site no Facebook, e esteja sempre antenado em assuntos interesantes como este.

Anúncios

Uma resposta to “O Poder da Pirâmide & 2012 – Parte 1”

  1. […] O Poder da Pirâmide & 2012 – Parte 1 […]

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: