Piramidal.net

Tudo o que você sempre quis saber sobre pirâmides.

  • Pirâmide de cobre C130

  • Pirâmide de alumínio A150

    Pirâmide de alumínio A150

  • Pirâmide de alumínio A150

    Pirâmide de alumínio A150

  • Pirâmide de cobre C150

    Pirâmide de cobre C150

  • Pirâmide de alumínio A130

    Pirâmide de alumínio A130

  • Incenso japones aroma orvalho

    Incenso japones aroma orvalho

  • Incenso japones aroma jasmim

    Incenso japones aroma jasmim

  • Pirâmide de latão fechada

    Pirâmide de latão fechada

  • Fórum sobre jejum, alimentação prânica (viver de luz) e temas relacionados

O que é Inteligência Espiritual?

Posted by luxcuritiba em abril 27, 2012

banner

Descubra se você tem inteligência espiritual e como usá-la a seu favor

Monica Buonfiglio

O que é a inteligência espiritual? Você se considera espiritualmente inteligente? Como descobrir? Um ateu pode ter mais inteligência espiritual do que um religioso? Quais são os passos para desenvolver essa inteligência?
Saiba mais sobre essa característica, como identificá-la e como desenvolvê-la.

A Inteligência Espiritual é a inteligência da alma, aquela que impulsiona abordar e solucionar os problemas. Faz com que nos tornemos verdadeiramente íntegros para inserir os atos da nossa vida em um contexto mais amplo, rico e gerador de significado. Algo que dê mais sentido e valor aos seres humanos para conceder o sentimento de totalidade. O líder do movimento pela Independência da Índia, Mahatma Gandhi (1869-1948), o Prêmio Nobel da Paz e ex-presidente da África do Sul Nelson Mandela (1918) e o músico John Lennon (1940-1980), são dotados de alto QS (QS ou Spiritual Quocient).

Como saber se temos Inteligência Espiritual?

As indicações de quem tem a Inteligência Espiritual desenvolvida incluem:
– Capacidade de enfrentar o sofrimento e ser flexível
– Celebração da diversidade
– Compaixão
– Espontaneidade
– Grau elevado de autopercepção
– Qualidade de ser inspirado por visão e valores
– Relutância em causar danos desnecessários
– Respeito a outros pontos de vista (ter humildade)
– Revisão constante de seus valores
– Faz perguntas do tipo “por que” e procurar respostas fundamentais
– Visão das conexões entre coisas diversas (ser holístico)
– Viver o presente.

Carência de Inteligência Espiritual

A autoconsciência é um dos critérios mais importantes da Inteligência Espiritual. Desde os primeiros dias na escola somos treinados a olhar para fora e não para dentro, a focalizar os fatos e problemas práticos do mundo externo. Quase nada na educação ocidental encoraja a refletir sobre nós mesmos e nossa vida interior. Por isso, somos tão carentes de Inteligência Espiritual.

Cultura da multidão

Nossa cultura é uma “cultura de multidão”. A mídia nos encoraja a ter os mesmos pensamentos e as mesmas opiniões. Um dos principais critérios da Inteligência Espiritual é o que os psicólogos chamam de “independência de campo”, ser capaz de erguer-se contra a multidão e defender uma opinião. ‘Ser quem acredita ser’. Isso não é egoísmo, mas individualidade autêntica e isso requer coragem.

Por exemplo, em 1955, no Alabama, a costureira negra Rosa Parks sentou-se em um banco de um ônibus (era proibido para negros) e se recusou a sair quando foi intimidada por um homem branco para que sentasse no banco dos fundos. Foi presa, julgada e condenada. A partir daí, começou o processo do Movimento dos Direitos Civis dos Negros nos Estados Unidos.

Quem tem Inteligência Espiritual significa que é religioso?

Ser religioso não garante ter uma Inteligência Espiritual elevada. Diversos humanistas e ateus têm essa inteligência, enquanto alguns indivíduos religiosos podem não apresentá-la. Ela se manifesta, por exemplo, quando um empresário tem a consciência holística de organizar sua empresa fazendo com que seus funcionários se conscientizem quanto à preservação da natureza e repassem isso aos produtos oferecidos.

Como podemos usá-la?

A Inteligência Espiritual nos leva ao âmago das coisas, a unidade atrás da diferença, ao potencial além de qualquer expressão concreta. Também a usamos na religião ou espiritualidade para praticá-las sem estreiteza, exclusividade, fanatismo ou preconceito.

Qual a diferença entre Inteligência Intelectual (QI), Inteligência Emocional (IE) e Inteligência Espiritual (QS)?

Para medir um tipo de organização neural, permitir ao homem que realize um pensamento racional, lógico e avaliar a inteligência de alguém, é usado o QI.

A Inteligência Emocional permite reconhecer os próprios sentimentos, dos outros e compreender outras qualidades do indivíduo. Artistas, oradores, músicos ou jogadores de futebol têm um alto IE, por exemplo.

A Inteligência Espiritual permite meditar acerca de uma situação em particular, ou seja, o que a minha vida profissional, familiar, conjugal, entre outros, significam verdadeiramente para minha alma.

Por que usamos a Inteligência Espiritual?

A Inteligência Espiritual concede a capacidade de escolha, nos presenteia com nosso senso moral, ameniza normas rígidas e nos fortalece por meio de uma maior compreensão e compaixão. É importante entender que o homem é um ser espiritual, pois existe em seu coração algo maior do que ele mesmo. Usamos para lutar com questões acerca do bem e do mal, além de imaginar possibilidades irrealizadas, tais quais: sonhar, aspirar ou superar situações difíceis.

Como desenvolver nossa Inteligência Espiritual?

Nossa alma está sempre pronta a reconsiderar. Para isso, precisamos recapturar nossa criança interna, aprimorar o senso de humildade e gratidão diante do Todo. A Inteligência Espiritual age como “o olho do coração”. Por meio de experiências perceptivas, faz com que o poder transformador seja exercido diariamente, como um “senso de ressurreição”. Isso não ocorre apenas na mente, mas na sua nova forma de saber e ser, capaz de transformar por completo o entendimento da vida (o nascimento de um filho, uma viagem marcante ou uma nova amizade podem melhor desenvolver essa inteligência).

Ser espiritualmente inteligente concede uma vantagem evolutiva?

Uma alta Inteligência Espiritual não precisa manter uma conexão com a religião. Nos sentimos bem quando possuímos uma crença profunda. A existência do ponto de Deus no cérebro indica a capacidade de experimentar algo religioso (ou crença), conferindo, de certo modo, uma vantagem evolutiva à nossa espécie.

O que você quer, é o que necessita?

Ao contrário do QI, que é linear, lógico e racional, a Inteligência Espiritual não pode ser quantificada. Em uma cultura espiritualmente embotada, ocorre uma distorção de valores. As pressões sociais e econômicas nos levam a confundir o que “queremos” com o que de fato “necessitamos”. Uma das maneiras para sermos espiritualmente mais inteligentes consiste em procurar a realidade por trás de qualquer desejo superficial.

Como anda seu “eu profundo”?

Existe um “eu profundo” que vive em todos nós, ancorado no Cosmo como um “Todo”. Tem origem na necessidade humana de sentido, visão e calor. Nem sempre é possível sentir realmente o que nos motiva. Esse “eu profundo” se manifesta em momentos de amizade calorosa, alegria, espanto e até mesmo quando enfrentamos os piores medos.

Qual é o primeiro passo para desenvolver a Inteligência Espiritual?

Consiste em assumir a responsabilidade por sua vida, reagir honesta e inovadoramente ao ambiente e à situação em que se encontra agora. Compreender seu papel e construir uma atitude sólida em relação às coisas que acontecem à sua volta.

Quais são os outros passos para aprimorar a Inteligência Espiritual?

O segundo passo consiste em mudar e assumir um compromisso. Está disposto a reduzir o cigarro ou a bebida? Escutar os outros com mais atenção?

O terceiro é uma reflexão quanto aos obstáculos da sua vida e que o impediram de segui-la, como a cobiça, a culpa, o medo, a preguiça, o comodismo, entre outros.

A busca pela bem-aventurança torna você um pai iluminado, um professor iluminado, um cozinheiro iluminado e assim por diante. Só dessa forma obteremos a graça inacreditável do dia a dia.

Fonte: Inteligência Espiritual. Aprenda a desenvolver a inteligência que faz a diferença. Danah Zohar (física e pós-graduada em religião, filosofia e psicologia pela Universidade de Harvard) e Ian Marshall (psiquiatra e psicoterapeuta); editora Record.

log_pir_47

.

 Gostou? Então Curta nossa página no Facebook.

eu_47 Seja amigo do autor do site no Facebook, e esteja sempre antenado em assuntos interesantes como este.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: